acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria Naval

Eisa lança ao mar graneleiro Log-In Tucunaré

25/04/2013 | 11h51
Eisa lança ao mar graneleiro Log-In Tucunaré
Divulgação Divulgação

 

Eisa lança ao mar graneleiro Log-In Tucunaré
O Estaleiro Eisa lança ao mar nesta quinta-feira (25), o graneleiro Log-In Tucunaré. Este é o quarto navio de uma encomenda de sete embarcações que a Log-In tem com o estaleiro. Segundo a companhia, a operação movimentará 150 milhões de toneladas de minério de bauxita a granel no período.  
“Com o lançamento ao mar do Log-In Tucunaré superamos mais da metade de nosso projeto de construção. Em 2015, completaremos nossa construção com a entrega dos outros três porta-contêineres. Isso é motivo de muito orgulho para a empresa”, diz o presidente da Log-In, Vital Jorge Lopes. O investimento estimado no navio é de R$170 milhões.
O graneleiro foi construído para atender ao contrato de 25 anos com a Alunorte, realizando viagens consecutivas entre os portos de Trombetas e de Vila do Conde, ambos no estado do Pará. Em janeiro de 2010, a Log-In iniciou a operação para a empresa com navios afretados. Uma das embarcações foi substituída em fevereiro deste ano, quando entrou em operação o graneleiro Log-In Tambaqui. A outra substituição está prevista para o início de 2014, quando o Log-In Tucunaré começará a operar.
Para a construção da embarcação foram utilizadas cerca de 13 mil toneladas de chapas de aço. Com 245 metros de comprimento, 40 metros de largura e calado de 11,58 metros, o navio tem capacidade individual de 80.100 toneladas de porte bruto e transporta cerca de 75 mil toneladas de bauxita por viagem. De acordo com a Log-In, o projeto da embarcação levou em conta a natureza da carga a ser transportada e a região onde irá atuar. Sua hidrodinâmica foi projetada para que tenha uma melhor navegabilidade, deslocando baixo volume de água para não prejudicar a população ribeirinha, que sofre com a erosão das suas margens agravada pela navegação fluvial. Seu consumo de combustível e emissão de gases consideraram padrões superiores de eficiência.
O Log-In Tucunaré foi adaptado para funcionar como sala de aula. Segundo Lopes, o programa Navio Escola é uma iniciativa da Log-In para contribuir com a formação e capacitação da marinha mercante brasileira. “O Log-In Tucunaré, assim como o Log-In Tambaqui, terá camarotes extras com o objetivo de receber estudantes e auxiliar em sua formação como marítimo. Consideramos de fundamental importância para a profissionalização desses jovens a possibilidade de conhecer uma operação na prática”, afirma o presidente da empresa. A Log-In escolheu como madrinha da embarcação Fernanda Gonçalves de Carvalho, esposa do presidente do Fundo da Marinha Mercante (FMM), Gustavo Lobo.
Todas as embarcações encomendadas pela Log-In ao Eisa estão incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento, do governo federal. Até 2014, a Log-In ainda receberá três novos porta-contêineres.

O Estaleiro Eisa lança ao mar nesta quinta-feira (25), o graneleiro Log-In Tucunaré. Este é o quarto navio de uma encomenda de sete embarcações que a Log-In tem com o estaleiro. Segundo a companhia, a operação movimentará 150 milhões de toneladas de minério de bauxita a granel no período.  

 


“Com o lançamento ao mar do Log-In Tucunaré superamos mais da metade de nosso projeto de construção. Em 2015, completaremos nossa construção com a entrega dos outros três porta-contêineres. Isso é motivo de muito orgulho para a empresa”, diz o presidente da Log-In, Vital Jorge Lopes. O investimento estimado no navio é de R$170 milhões.

 


O graneleiro foi construído para atender ao contrato de 25 anos com a Alunorte, realizando viagens consecutivas entre os portos de Trombetas e de Vila do Conde, ambos no estado do Pará. Em janeiro de 2010, a Log-In iniciou a operação para a empresa com navios afretados. Uma das embarcações foi substituída em fevereiro deste ano, quando entrou em operação o graneleiro Log-In Tambaqui. A outra substituição está prevista para o início de 2014, quando o Log-In Tucunaré começará a operar.

 


Para a construção da embarcação foram utilizadas cerca de 13 mil toneladas de chapas de aço. Com 245 metros de comprimento, 40 metros de largura e calado de 11,58 metros, o navio tem capacidade individual de 80.100 toneladas de porte bruto e transporta cerca de 75 mil toneladas de bauxita por viagem. De acordo com a Log-In, o projeto da embarcação levou em conta a natureza da carga a ser transportada e a região onde irá atuar. Sua hidrodinâmica foi projetada para que tenha uma melhor navegabilidade, deslocando baixo volume de água para não prejudicar a população ribeirinha, que sofre com a erosão das suas margens agravada pela navegação fluvial. Seu consumo de combustível e emissão de gases consideraram padrões superiores de eficiência.

 


O Log-In Tucunaré foi adaptado para funcionar como sala de aula. Segundo Lopes, o programa Navio Escola é uma iniciativa da Log-In para contribuir com a formação e capacitação da marinha mercante brasileira. “O Log-In Tucunaré, assim como o Log-In Tambaqui, terá camarotes extras com o objetivo de receber estudantes e auxiliar em sua formação como marítimo. Consideramos de fundamental importância para a profissionalização desses jovens a possibilidade de conhecer uma operação na prática”, afirma o presidente da empresa. A Log-In escolheu como madrinha da embarcação Fernanda Gonçalves de Carvalho, esposa do presidente do Fundo da Marinha Mercante (FMM), Gustavo Lobo.

 


Todas as embarcações encomendadas pela Log-In ao Eisa estão incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento, do governo federal. Até 2014, a Log-In ainda receberá três novos porta-contêineres.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar