acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Ceará

EDP Energias do Brasil e MPX firmam acordo para expansão da UTE Porto do Pecém

22/08/2008 | 10h13

A EDP - Energias do Brasil, empresa do Grupo EDP Energias de Portugal, e a MPX Energia, empresa do grupo EBX, firmaramum acordo para participação conjunta  na  expansão da base do projeto da Usina Termelétrica Porto do Pecém, localizada no Estado do Ceará.

O novo acordo estabelece que cada um dos grupos deterá  50% do projeto, que prevê a instalação de uma nova unidade de geração térmica a carvão mineral,  com 360 megawatts de capacidade instalada. Esse novo grupo também será instalado em São Gonçalo do Amarante (CE) e complementará o projeto que já se encontra em fase de construção (UTE Pecém I), com capacidade de 720 megawatts, um investimento de US$ 1,3 bilhão em energia já vendida em leilão A- 5, ocorrido em outubro de 2007. 
 
Para o vice-presidente de geração da EDP Energias do Brasil, Luiz Otavio Henriques, a expansão do projeto alinha-se à estratégia da companhia de crescer no segmento de geração.

“Estamos buscando oportunidades para ampliar a nossa capacidade instalada em geração de energia elétrica. Consideramos, neste momento, a implantação de usinas térmicas a carvão uma fonte complementar para apoiar essa nossa estratégia e, principalmente, por ser um reforço para a matriz energética brasileira”, afirma Henriques. 

A UTE Pecém II possui Licença Prévia, emitida em julho de 2008 pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente - Ceará (SEMACE). O documento possibilitará a participação da unidade no próximo leilão de energia A-5, previsto para ocorrer em setembro de 2008.
O projeto UTE Pecém II deverá se beneficiar de sinergias de investimentos com a primeira fase.
 
Sobre a EDP- Energias do Brasil – A EDP-Energias do Brasil é a holding que consolida ativos de energia elétrica nas áreas de geração (Enernova, Energest, EDP Lajeado e Enerpeixe), comercialização (Enertrade) e distribuição (Bandeirante, Escelsa e Enersul). É controlada pela EDP - Energias de Portugal, quarta maior operadora eólica do mundo.



Fonte: A4 Comunicação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar