acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Pipeline 2015

EasySubsea prospectando o mercado submarino

21/09/2015 | 11h14
EasySubsea prospectando o mercado submarino
Divulgação / Rhuan Barreto, diretor de Operações Divulgação / Rhuan Barreto, diretor de Operações

 

Os produtos da easySubsea são utilizados durante toda a etapa de produção de um poço de petróleo ou estrutura de escoamento da produção, como tubulações.
2) Quais são as tecnologias empregadas? Os equipamentos são fabricados integralmente aqui ou certos componentes são trazidos de fora?  
 Nossos produtos têm um alto teor de conteúdo local. Somente alguns pequenos componentes são importados. Nosso maior conteúdo tecnológico é a nossa capacidade de desenvolver circuitos de processamento de sinais de sensores e protocolos de comunicação para ambientes subsea e downhole. A nossa experiência operacional também é muito importante, pois traz diversas inovações nos produtos que facilitam a vida de quem trabalha em campo sem impactar nos custos operacionais.
3) Quais são os diferenciais competitivos da empresa no desenvolvimento e aplicação de tecnologias subsea no mercado brasileiro?
 O principal diferencial competitivo da empresa está no seu custo competitivo a nível global e nas inovações desenvolvidas nos produtos para reduzir custos operacionais e facilitar o trabalho de quem está utilizando o produto: a nossa filosofia "easy".
4) A Easysubsea recebe algum incentivo e/ou fomento de investimentos em PD&I para desenvolver novas tecnologias? Como se dá o processo de "formação do capital tecnológico" da empresa? 
Sim. A easySubsea já recebeu diversos fomentos da Faperj e agora está captando recursos pela Finep para o desenvolvimento das nossas soluções de comunicação sem fio subsea. E também estamos recebendo apoio do Sebrae para prototipagem dos nossos produtos e depósito das nossas patentes junto ao INPI pelo programa SEBRAETEC. O nosso capital tecnológico está constantemente em expansão. A empresa possui um processo contínuo de inovação nos seus produtos, onde há um planejamento contínuo para a inserção de novas tecnologias e conceitos no mercado.
5) Sendo o pré-sal a maior fronteira da indústria mundial no que concerne a exploração e produção de hidrocarbonetos, como você vê o mercado subsea no Brasil? Existem desafios e entraves que precisam ser superados? Quais?
O mercado Subsea no Brasil ainda é promissor. A exploração do pré-sal no Brasil está quebrando fronteiras tecnológicas para a exploração mais profunda de petróleo e gás em todo o mundo. Sendo o Brasil pioneiro nessa exploração, com certeza ainda há uma grande oportunidade neste campo. Porém para esse desenvolvimento acontecer, a indústria precisa se qualificar tecnologicamente e aumentar sua competitividade no mercado. Isso faz com que as startups de base tecnológica, que possuem um alto conteúdo tecnológico e alta competitividade, com custos mais baixos e entregas mais rápidas, sejam as potenciais protagonistas dos desenvolvimentos tecnológicos no médio e longo prazo no Brasil.
6) Quais são as petroleiras que utilizam os serviços e as tecnologias da Easysubsea? A empresa já desenvolveu algum produto/serviço customizado para atender as necessidades de um cliente? Quais?
A easySubsea finalizou o seu primeiro ciclo de desenvolvimento e está trabalhando para introduzir suas tecnologias desenvolvidas no mercado nacional. Estamos em conversas com diversos demandantes e abertos a total customização dos nossos produtos de acordo com a necessidade dos nossos clientes, que podem ser desde operadores de E&P a fabricantes de sistemas de produção subsea e EPCistas.
7) Quais são as expectativas da Easysubea para o RioPipeline 2015? Vocês apresentarão algum produto/serviço na feira? Qual?
 Esperamos mostrar nossos produtos e projetos para o mercado, como o easySensing, um sensor que pode medir pressão e temperatura em equipamentos e estruturas subsea, como tubulações, e o projeto easyComm que pretende realizar a criação de uma rede de sensores wireless subsea, reduzindo os custos operacionais e mantendo a conrtinuidade da operação caso os cabos e umbilicais falhem.

Em sua 10ª edição, a Rio Pipeline Conference & Exposition afirma a sua posição de destaque junto à comunidade internacional de dutos como um catalisador de oportunidades de negócios, networking, intercâmbio de conhecimento e aprimoramento técnico dos profissionais e disseminação de boas práticas no segmento.

Em 2015, o evento explora o lema “Dutos Submarinos: um importante papel no desenvolvimento do Pré-Sal”. As descobertas brasileiras, entre as mais importantes em todo o mundo na última década, colocam o país em uma posição estratégica frente à grande demanda de energia mundial. São grandes os desafios técnicos, logísticos, ambientais e regulatórios para exploração e escoamento desses recursos. Vislumbra-se um grande potencial de desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, em particular, do segmento de dutos submarinos, que irá requerer novas tecnologias e soluções para expansão da malha.

A easySubsea, empresa nacional residente da incubadora da Coppe/UFRJ, apresentará no evento soluções inovadoras em controle, automação e monitoração petrolífera. Quem nos conta um pouco mais sobre a empresa é Rhuan Barreto, diretor de Operações.

 

TN - Os serviços de monitoração e automação da easySubsea são empregados em que etapas do processamento submarino?

Rhuan - Os produtos da easySubsea são utilizados durante toda a etapa de produção de um poço de petróleo ou estrutura de escoamento da produção, como tubulações.

 

Quais são as tecnologias empregadas? Os equipamentos são fabricados integralmente aqui ou certos componentes são trazidos de fora?  

Nossos produtos têm um alto teor de conteúdo local. Somente alguns pequenos componentes são importados. Nosso maior conteúdo tecnológico é a nossa capacidade de desenvolver circuitos de processamento de sinais de sensores e protocolos de comunicação para ambientes subsea e downhole. A nossa experiência operacional também é muito importante, pois traz diversas inovações nos produtos que facilitam a vida de quem trabalha em campo sem impactar nos custos operacionais.

 

Quais são os diferenciais competitivos da empresa no desenvolvimento e aplicação de tecnologias subsea no mercado brasileiro?

O principal diferencial competitivo da empresa está no seu custo competitivo a nível global e nas inovações desenvolvidas nos produtos para reduzir custos operacionais e facilitar o trabalho de quem está utilizando o produto: a nossa filosofia "easy".

 

A easySubsea recebe algum incentivo e/ou fomento de investimentos em PD&I para desenvolver novas tecnologias? Como se dá o processo de "formação do capital tecnológico" da empresa? 

Sim. A easySubsea já recebeu diversos fomentos da Faperj e agora está captando recursos pela Finep para o desenvolvimento das nossas soluções de comunicação sem fio subsea. E também estamos recebendo apoio do Sebrae para prototipagem dos nossos produtos e depósito das nossas patentes junto ao INPI pelo programa SEBRAETEC. O nosso capital tecnológico está constantemente em expansão. A empresa possui um processo contínuo de inovação nos seus produtos, onde há um planejamento contínuo para a inserção de novas tecnologias e conceitos no mercado.

 

Sendo o pré-sal a maior fronteira da indústria mundial no que concerne a exploração e produção de hidrocarbonetos, como você vê o mercado subsea no Brasil? Existem desafios e entraves que precisam ser superados? Quais?

O mercado Subsea no Brasil ainda é promissor. A exploração do pré-sal no Brasil está quebrando fronteiras tecnológicas para a exploração mais profunda de petróleo e gás em todo o mundo. Sendo o Brasil pioneiro nessa exploração, com certeza ainda há uma grande oportunidade neste campo. Porém para esse desenvolvimento acontecer, a indústria precisa se qualificar tecnologicamente e aumentar sua competitividade no mercado. Isso faz com que as startups de base tecnológica, que possuem um alto conteúdo tecnológico e alta competitividade, com custos mais baixos e entregas mais rápidas, sejam as potenciais protagonistas dos desenvolvimentos tecnológicos no médio e longo prazo no Brasil.

 

Quais são as petroleiras que utilizam os serviços e as tecnologias da easySubsea? A empresa já desenvolveu algum produto/serviço customizado para atender as necessidades de um cliente? Quais?

A easySubsea finalizou o seu primeiro ciclo de desenvolvimento e está trabalhando para introduzir suas tecnologias desenvolvidas no mercado nacional. Estamos em conversas com diversos demandantes e abertos a total customização dos nossos produtos de acordo com a necessidade dos nossos clientes, que podem ser desde operadores de E&P a fabricantes de sistemas de produção subsea e EPCistas.

 

Quais são as expectativas da Easysubea para o RioPipeline 2015? Vocês apresentarão algum produto/serviço na feira? Qual?

Esperamos mostrar nossos produtos e projetos para o mercado, como o easySensing, um sensor que pode medir pressão e temperatura em equipamentos e estruturas subsea, como tubulações, e o projeto easyComm que pretende realizar a criação de uma rede de sensores wireless subsea, reduzindo os custos operacionais e mantendo a conrtinuidade da operação caso os cabos e umbilicais falhem.



Fonte: Redação TN Petróleo / Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar