acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Estaleiro Atlântico Sul

EAS e Samsung assinam contrato de cooperação tecnológica

16/07/2007 | 00h00
Por Cassiano Viana

Executivos do estaleiro Atlântico Sul e da Samsung realizaram, na última quinta-feira (12), no Rio de Janeiro, a formalização de contrato de cooperação tecnológica. Com isso, o Atlântico Sul amplia a parceria com a Samsung, terceiro player mundial do setor e que já havia desenhado o projeto do estaleiro. Presente na ocasião, dentre vários executivos da Samsung, o CFO da companhia, Seo-Yoon Kim.

“A escolha pelo design dos navios da Samsung foi pela exigência de uma performance garantida”, afirmou o presidente do estaleiro Atlântico Sul, Paulo Haddad, não descartando a ampliação da parceria. “O grupo tem interesse em contar com um parceiro tecnológico como sócio”, comentou.

Segundo o executivo, a participação da PJMR Empreendimentos deve aumentar para 10% nos próximos seis meses. “A participação das construtoras está dividida hoje em 49,5% da Camargo Corrêa, 49,5% da Queiroz Galvão e 1% da PJMR Empreendimentos. Com isso a parte técnica brasileira tende a crescer”, comentou Haddad.

“As obras já estão na fase de fundação. Já encomendamos as estacas e pranchas, bem como os galpões e o material para o dique, que deve ser recebido no início de agosto”, afirmou Haddad. “A previsão é que as oficinas e os prédios fiquem prontos em até 12 meses”, disse.

Estão sendo investidos R$ 670 milhões no Estaleiro Atlântico Sul, que terá 78 hectares totais e uma capacidade de processamento de 100 mil toneladas anuais de aço, o que dará ao estaleiro a possibilidade, por exemplo, de construir anualmente até quatro navios petroleiros do tipo Suezmax, cada um deles capaz de transportar 1 milhão de barris de petróleo.

A área industrial coberta do empreendimento terá 110 mil metros quadrados e o estaleiro contará com um cais de 700 metros de extensão, sendo atendido por dois guindastes com capacidade de 35 toneladas, além de 240 mil metros quadrados destinados aos serviços de construção, montagem e reparo de unidades offshore.

A previsão do portifólio do Atlântico Sul é que sejam fabricados diversos tipos de embarcações de grande porte, dentre tankers, graneleiros e conteiners, além de plataformas para exploração offshore de petróleo., ,, ,, ,, ,

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar