acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Comperj

Diretor de Abastecimento detalha projeto do Comperj

22/08/2011 | 09h26
Diretor de Abastecimento detalha projeto do Comperj
Diretor de Abastecimento detalha projeto do Comperj Diretor de Abastecimento detalha projeto do Comperj
O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, proferiu palestra sobre o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) nesta sexta-feira (19), no Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP). O executivo abordou as mudanças desde o projeto original, que previa uma refinaria e uma petroquímica, até o atual, com a inclusão de mais uma refinaria.

O empreendimento foi repensado em virtude do crescimento do consumo de derivados, que, segundo o diretor, segue firme em 2011. No primeiro semestre, o acúmulo foi de 6,6% em comparação com o mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2010, o crescimento foi de 8,4%.

“Nossa projeção é de que o consumo de derivados cresça entre 3,8% a 4,5% até 2020. No Brasil, devemos consumir 3,2 milhões de barris por dia”, afirmou.

Costa destacou o programa de reuso de água para as atividades industriais do Comperj, que será o maior do mundo. O convênio assinado com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio, a Cedae, permitirá o reuso de 1,5 mil litros por segundo, o equivalente ao consumo de uma cidade com aproximadamente 500 mil habitantes. A água será utilizada nos processos de geração de vapor e resfriamento, entre outros.

“Toda a água de uso industrial do Comperj será água que seria descartada na Baía de Guanabara. É o maior projeto de reuso de água do mundo. O segundo maior projeto usa 400 litros por segundo”, apontou.

O diretor também ressaltou o impacto econômico para o município de Itaboraí, que abrigará o Comperj, e para a região. Serão instaladas indústrias de 2ª geração e de transformação, indústrias consumidoras de material plástico, além de empresas do setor de serviços, entre outras atividades.

Quanto à formação de mão de obra local, Paulo Roberto Costa destacou o treinamento, por meio do Centro de Integração do Comperj, em São Gonçalo, de cerca de 7 mil pessoas de 11 municípios do entorno. Em 2011 serão mais 6 mil pessoas, e a expectativa total é de 30 mil trabalhadores treinados.

A primeira refinaria do Comperj tem previsão de entrada em operação em 2013. A parte petroquímica entra em operação em 2016 e a segunda refinaria em 2018.


Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar