acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pesquisa e Inovação

DF: Petrobras e UnB inauguram novos laboratórios do Instituto de Geociências

29/11/2011 | 10h18
DF: Petrobras e UnB inauguram novos laboratórios do Instituto de Geociências
DF: Petrobras e UnB inauguram novos laboratórios do Instituto de ... DF: Petrobras e UnB inauguram novos laboratórios do Instituto de ...
A Petrobras e a Universidade de Brasília (UnB) inauguraram ontem (28) as novas instalações do Laboratório de Estudos Geodinâmicos do Instituto de Geociências, reformado e ampliado através de investimentos de cerca de R$ 6 milhões da estatal. Os recursos fazem parte da cláusula de investimentos em pesquisa da Lei do Petróleo brasileira.

Estiveram presentes à cerimônia o Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloísio Mercadante; o Diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella; o Diretor Presidente da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, Serviço Geológico do Brasil, Manoel Barreto; o Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Cláudio Scliar; o Chefe de Gabinete da Presidência da República, Giles Carriconde Azevedo; e o Reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo de Sousa Júnior.
 
O prédio inaugurado integra um conjunto de laboratórios em uma área de cerca de 500m² e é hoje um dos núcleos de referência no Brasil na área de datação geocronológica de rochas. Estudos geocronológicos determinam a idade absoluta, em milhões de anos, de rochas e minerais que constituem a crosta terrestre e que preenchem as bacias sedimentares, sítio da pesquisa e exploração de petróleo. Conhecer a idade das rochas é um balizador fundamental à atividade exploratória, tanto a petrolífera quanto a de outros bens minerais.

O Instituto de Geociências trabalha em parceria com a Petrobras há mais de 20 anos. Além dos equipamentos de última geração, o laboratório possui equipe de pesquisadores e técnicos altamente qualificados, que conduz projetos de apoio às pesquisas aplicadas realizadas no Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), no Rio de Janeiro. Também integra a carteira de projetos atualmente conduzida pela UnB a análise geológica da Bacia do São Francisco, localizada nos estados de Bahia e Minas Gerais e um dos focos exploratórios atuais no Brasil.

Segundo Guilherme Estrella, a indústria petrolífera que é a que mais promove investimentos, é uma indústria que se baseia fundamentalmente no trabalho dos geólogos. “É na geologia, no conhecimento geocientífico, que começa toda a indústria petrolífera. A Petrobras investe enormemente nessa área, não só em pesquisa, mas também em treinamento. Esse laboratório de geocronologia muito contribuirá para o desenvolvimento do conteúdo cientifico da exploração de petróleo no Brasil”, explicou.

Este projeto é parte da parceria entre a Petrobras e instituições brasileiras de Ciência e Tecnologia, por meio de Redes Temáticas. Nos novos laboratórios inaugurados, serão desenvolvidos projetos de Pesquisa & Desenvolvimento de três redes temáticas: Rede de Estudos Geotectônicos, Rede de Geoquímica e Rede de Estudos em Sedimentologia e Estratigrafia.

Para o Ministro Aloísio Mercadante, a Petrobras tem um papel estratégico em tudo o que diz respeito à ciência e tecnologia na rede do petróleo, que gera muito investimento e inovação. “Nós achamos nosso Sputnik a sete mil metros no fundo do mar, que é o pré-sal. Também na exploração e no desenvolvimento dessa riqueza, temos que saber desencadear um grande investimento de inovação, ciência, tecnologia e equipamentos no Brasil. É uma grande oportunidade de darmos um salto na nossa frota de navios e equipamentos e ainda temos poucas empresas com alta capacitação tecnológica nessa cadeia de investimentos”, disse.

Redes Temáticas
 
O modelo das Redes Temáticas foi criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje há 50 redes viabilizando importantes parcerias, envolvendo mais de 100 universidades e instituições de pesquisas distribuídas em todo o Brasil.

Nas redes, as instituições desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para os negócios da Petrobras e para a indústria brasileira de energia. A Petrobras vem investindo nesse modelo de parceria tecnológica cerca de R$ 460 milhões anuais, em média, possibilitando às instituições conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.


Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar