acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil&Gas

Destaque para meio ambiente e responsabilidade social

03/09/2004 | 00h00

A 12ª edição da Rio Oil & Gas, a ser realizada de 4 a 7 de outubro no Riocentro, vai dar destaque sem precedentes para duas questões fundamentais da indústria do petróleo: o meio ambiente e a responsabilidade social. Profissionais e acadêmicos vão apresentar 119 trabalhos sobre essa temática. Os coordenadores João Norberto Noschang Neto, de Responsabilidade Ambiental, e Marcelo de Freitas Nóbrega, de Responsabilidade Social, consideram que esse destaque é o reflexo, em última instância, do amadurecimento da própria sociedade, hoje muito mais consciente de que não há solução fora do desenvolvimento sustentável.
Não por acaso, as empresas de petróleo vêm trabalhando a gestão do negócio com foco muito direcionado à responsabilidade sócio-ambiental, sob pena de ficarem isoladas, ou até mesmo "morrerem de inanição pela falta de parceiros", alerta Nóbrega, que é diretor de RH da BP. O executivo prefere usar o termo responsabilidade corporativa, que consiste no tripé formado por responsabilidade econômica (resultados para a organização), social (excelência de relacionamentos com empregados, fornecedores, clientes, sociedade e governo) e ambiental.
Essa maneira diferente e sustentável de fazer negócios também é destacada por Noschang, ao lembrar que a indústria do petróleo está se transformando em indústria de energia. Coordenador do Programa Tecnologia de Energias Renováveis da Petrobras, o executivo diz que a mudança ainda demora, mas está em um processo de ebulição em todo o mundo.
"O petróleo só tem uma safra, mas essa transformação ocorrerá não apenas porque o petróleo vai acabar, o que pode levar 50, 100 anos. Afinal, a Idade da Pedra não acabou por falta de pedra. A era do petróleo como a conhecemos, com petróleo usado principalmente como combustível, chegará ao fim, mas o óleo continuará servindo a finalidades mais nobres na indústria petroquímica. A geração de energia virá de fontes renováveis, menos poluentes", afirma.
Uma questão destacada pelos coordenadores é o entrelaçamento entre os problemas ambientais e sociais. Nóbrega elogia o trabalho realizado pela Tubos Apolo, de criação de capacidade na comunidade, formando mão-de-obra, fornecedores e consumidores locais, enquanto Noschang cita o festejado Projeto Tamar, de preservação de tartaruga marinha: "O Projeto Tamar possui um importante papel social nas regiões onde atua, pois busca mão-de-obra local."
Marcelo Nóbrega ressalta a transparência na gestão como um ganho fundamental para a sociedade: "Uma iniciativa bastante interessante é a decisão das empresas de divulgar de forma mais ampla o valor dos impostos que recolhem, seja no balanço, no balanço social ou na internet, permitindo que as comunidades cobrem dos políticos o destino desses tributos".



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar