acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Artigo Técnico

Desenvolvimento tecnológico para maior eficiência dos geradores, por Abraham Curi

08/11/2016 | 13h26

A energia temporária é uma alternativa de abastecimento para lugares em que a rede elétrica convencional não está presente, ou mesmo para suprir demandas sazonais causadas por eventos ou atividades que possuam um tempo de existência determinado. Esse tipo de fornecimento é realizado. Por meio de geradores que ajudam a suprir a energia elétrica oferecida pela rede convencional. 

Exemplos de situações em que o uso desses geradores torna-se fundamental são os eventos de grande porte, como Copa do Mundo e Olimpíadas, nos quais um aumento pontual da demanda poderia sobrecarregar o abastecimento. Nesse caso, o uso da rede temporária pode, inclusive, ser uma exigência dos organizadores dessas competições, para evitar desabastecimentos que possam comprometer a qualidade do evento e a sua transmissão. 

O setor de petróleo & gás também demanda o uso de geradores, em especial nas chamadas plataformas offshore, que fazem extração de petróleo em alto-mar. Em lugares como esse, onde não há ligação com o Sistema Interligado Nacional/SIN, a geração de energia isolada é essencial para a continuidade das atividades. Quando se avalia a importância do setor de O&G para a economia brasileira, é possível ter uma ideia da relevância desse tipo de energia. 

No caso de uma interrupção na geração principal da plataforma, seja por paradas programadas ou emergenciais, a geração temporária pode ser uma boa alternativa. Entretanto, o oferecimento desse tipo de serviço apresenta alguns desafios. Os principais se referem à logística, ou seja, levar o gerador até o local de fornecimento. Boa parte das plataformas tem restrições quanto à capacidade do guindaste para içamento destes geradores. 

Para mitigar esse problema, o mercado desenvolveu soluções compactas de alta potência em contêineres ISO certificados com peso de até 12 toneladas. O produto de menor peso e alta potência por m² é uma evolução importante rumo à prestação de um serviço mais seguro e de melhor qualidade. Além disso, a máquina mais leve também reduz o custo da operação, já que ela pode ser içada pelo guindaste sem a necessidade de retirada do skid motogerador do contêiner, o que acontece com os grupos geradores importados. 

A indústria de geração de energia temporária tem buscado desenvolver tecnologia para aumentar a eficiência do abastecimento. No caso das plataformas de petróleo, onde o ambiente é restrito, é preciso que os geradores ocupem menos espaço. Por isso, uma das medidas de rendimento é a entrega de potência versus o tamanho do contêiner utilizado para abrigá-lo. Essa métrica também é conhecida como potência por metro quadrado, e é uma vantagem competitiva para as empresas produtoras dessas máquinas e também para o cliente final. 

O mercado já oferece alternativas menores e mais econômicas para ir ao encontro dessa demanda. Os motores importados têm um consumo específico em torno de 280l/MWh, enquanto motores nacionais consomem apenas 260 l/Mwh. Além da economia, há também a redução da emissão de poluentes. 

Embora as plataformas onshore não apresentem essas limitações de espaço, elas também podem se beneficiar desses avanços tecnológicos. O desenvolvimento do mercado tem criado equipamentos mais confiáveis e mais eficientes. 

Em um momento no qual a crise econômica trouxe prejuízos a uma série de cadeias produtivas, é preciso estar atento a todas as possibilidades de ganho ou de redução de custos disponíveis. Os avanços na indústria de fornecimento de energia temporária devem favorecer o aumento na produtividade e melhor performance do setor de O&G. 

Fundada em 2006, a Tecnogera atua principalmente com a locação de grupos geradores, bancos de carga, transformadores, subestações e todos os acessórios e serviços. Com atendimento 24 horas por dia, sete dias por semana, conta com uma frota de mais de 700 equipamentos de grande porte (mais de 370 MVA), utilizada para todo tipo de demanda, incluindo geração para sistemas isolados (PIE/Produtor Independente de Energia), stand by, horário de ponta ou parada programada. Desde 2014, a empresa conta com a participação fundo de private equity Patria Investimentos. 

 

Sobre o autor: Abraham Curi é CEO da Tecnogera Geradores.

 



Fonte: Abraham Curi
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar