acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Desenvolvimento da indústria naval e offshore é foco do primeiro dia do FPSO Congress

20/03/2013 | 10h32

 

Os executivos do setor naval e offshore que participaram ontem do FPSO Congress, que está sendo realizado no Rio de Janeiro foram categóricos em afirmar que o desenvolvimento das tecnologias pela indústria naval e offshore é fundamental para a expansão e a competitividade com outros países fortes no setor como Cingapura. 
Segundo Augusto Mendonça, presidente da Abenav, a indústria naval se recuperou nos últimos 10 anos, passando a ser uma atividade importante para a economia nacional, puxada principalmente pelo setor de óleo e gás. Mas para isso é preciso investimentos, que já vem acontecendo, e por isso, a indústria naval brasileira vem conseguindo assegurar os níveis de conteúdo local nos projetos offshore. 
Mendonça afirmou que há planos de iniciar exportações de equipamentos para o México e África, numa iniciativa para criar um mercado internacional para as empresas brasileiras do setor. 
Para Danilo Freitas, diretor-geral do Centro de Excelência em EPC (CE-EPC), é importante focar também na engenharia, pois só assim será possível atender as necessidades da indústria local. 
"Uma engenharia bem desenvolvida dá ao país uma competitividade não só local mas também a nível internacional", afirmou. 

Os executivos do setor naval e offshore que participaram ontem do FPSO Congress, que está sendo realizado no Rio de Janeiro foram categóricos em afirmar que o desenvolvimento das tecnologias pela indústria naval e offshore é fundamental para a expansão e a competitividade com outros países fortes no setor como Cingapura. 


Segundo Augusto Mendonça, presidente da Associação Brasileira das Empresas do Setor Naval e Offshore (Abenav), a indústria naval se recuperou nos últimos 10 anos, passando a ser uma atividade importante para a economia nacional, puxada principalmente pelo setor de óleo e gás. Mas para isso é preciso investimentos, que já vem acontecendo, e por isso, a indústria naval brasileira vem conseguindo assegurar os níveis de conteúdo local nos projetos offshore. 


Mendonça afirmou que há planos de iniciar exportações de equipamentos para o México e África, numa iniciativa para criar um mercado internacional para as empresas brasileiras do setor.  Para Danilo Freitas, diretor-geral do Centro de Excelência em EPC (CE-EPC), é importante focar também na engenharia, pois só assim será possível atender as necessidades da indústria local. 


"Uma engenharia bem desenvolvida dá ao país uma competitividade não só local mas também a nível internacional", afirmou. 

 



Fonte: Redação TN/ Rodrigo Miguez
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar