acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Depois de perder a Celpa, J&F foca na aquisição do grupo Rede

26/09/2012 | 10h57

 

A venda da Celpa, distribuidora paraense de energia, fechada com a Equatorial, não tirou o apetite do grupo J&F de entrar no setor elétrico. A holding, que controla o JBS, Eldorado Celulose e outras empresas, corria por fora no processo de venda da Celpa, que estava em recuperação judicial desde fevereiro.
“Agora vamos focar no grupo” disse uma fonte da J&F ao "Valor", referindo-se aos demais ativos da Rede Energia. Ou seja, outras oito distribuidoras de energia, entre elas a Cemat, de Mato Grosso, a Celtins, do Tocantins, e a Enersul, de Mato Grosso do Sul.
Essas distribuidoras do Rede Energia, controlada pelo empresário Jorge Queiroz, estão sob intervenção da Agência Nacional de Energia (Aneel) desde agosto.
O grupo, com prazo de dois meses para apresentar “soluções de mercado” aos ativos, tem um endividamento elevado e há algum tempo vinha buscando um comprador para seus ativos.
A holding J&F chegou a conduzir negociações com Queiroz por cerca de um ano, até maio passado. O objetivo era adquirir o grupo inteiro, inclusive a Celpa. Agora, certamente terá outros concorrentes pela frente, como a paulista CPFL Energia e a mineira Cemig.

A venda da Celpa, distribuidora paraense de energia, fechada com a Equatorial, não tirou o apetite do grupo J&F de entrar no setor elétrico. A holding, que controla o JBS, Eldorado Celulose e outras empresas, corria por fora no processo de venda da Celpa, que estava em recuperação judicial desde fevereiro.


“Agora vamos focar no grupo” disse uma fonte da J&F ao "Valor", referindo-se aos demais ativos da Rede Energia. Ou seja, outras oito distribuidoras de energia, entre elas a Cemat, de Mato Grosso, a Celtins, do Tocantins, e a Enersul, de Mato Grosso do Sul.


Essas distribuidoras do Rede Energia, controlada pelo empresário Jorge Queiroz, estão sob intervenção da Agência Nacional de Energia (Aneel) desde agosto.


O grupo, com prazo de dois meses para apresentar “soluções de mercado” aos ativos, tem um endividamento elevado e há algum tempo vinha buscando um comprador para seus ativos.


A holding J&F chegou a conduzir negociações com Queiroz por cerca de um ano, até maio passado. O objetivo era adquirir o grupo inteiro, inclusive a Celpa. Agora, certamente terá outros concorrentes pela frente, como a paulista CPFL Energia e a mineira Cemig.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar