acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Setor Naval

Depois da P-51, Victer diz que P-54 também será feita no Rio

15/04/2004 | 00h00
Depois de conquistar o direito de sediar no Rio de Janeiro as obras da P-51, a primeira plataforma de petróleo da história a ser integralmente construída no Brasil, o governo fluminense já trabalha com a perspectiva de o estado também ter todas as etapas da obra de outra unidade marítima da Petrobras: a P-54. O secretário estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Rio, Wagner Victer, justificou a expectativa ao revelar que representantes dos quatro consórcios que concorrem ao projeto informaram a intenção de trazer todo o empreendimento para o estado.
O secretário fez o anúncio nesta quinta-feira (15/04), em discurso no Palácio Guanabara, no Rio, durante a cerimônia de assinatura do decreto estadual que isentará a plataforma P-51 da cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Na ocasião, revelou que o benefício também poderá ser estendido para a P-54, caso se confirme a expectativa de construção integral da plataforma no estado. Caso contrário, ameaçou Victer, o governo pretende aplicar a lei Valentim, que prevê a incidência de 19% do imposto sobre importações de equipamentos para a área offshore.
Também presente à cerimônia, o gerente executivo de Engenharia da Petrobras, Pedro Barusco Filho, não confirmou a informação dada pelo secretário do Rio. Segundo o executivo, caberá aos consórcios vencedores da licitação a escolha do local da construção. Além do Mauá-Jurong e da Fels Setal, também apresentaram propostas pela P-54 um consórcio liderado pela Queiroz Galvão e outro pela Andrade Gutierrez.
A construção de toda obra no país depende, segundo Victer, da definição de local para docagem da unidade. Segundo o secretário, apenas o estaleiro Sermetal, no Caju, teria capacidade para assumir essa etapa da obra. Barusco revelou que a Petrobras já havia tentado, sem sucesso, licitar a docagem do projeto da P-54. Diante da falta de propostas, no entanto, a empresa decidiu incluir a docagem ao restante do projeto.
Barusco não confirmou quando será definida a licitação da P-54, limitando-se a informar apenas que a Petrobras analisa, atualmente, as propostas técnicas dos concorrentes.

Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar