acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Biocombustíveis

Delegação alemã visita o CPT/ANP para tratar de projeto conjunto de biocombustíveis

13/03/2018 | 14h35

O Centro de Pesquisas e Análises Tecnológicas (CPT) da ANP recebeu, nesta segunda-feira (12/3), a visita de uma delegação alemã para tratar do projeto conjunto entre o Brasil e a Alemanha de produção de um bioquerosene de aviação alternativo.

A delegação, coordenada pela Agência de Cooperação Brasil-Alemanha (GIZ), contou com a participação da Agência Aeroespacial alemã (DLR) e empresas de tecnologia e equipamentos. Também estiveram na visita o diretor da ANP Aurélio Amaral, técnicos da Agência, representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e empresas brasileiras.

"A ANP se sente honrada por contribuir com o projeto de bioquerosene de aviação alternativo e de ter instalada a planta piloto dessa nova tecnologia. Temos tradição nos biocombustíveis e podemos colaborar muito com a Alemanha. Recentemente, o Brasil criou a política de biocombustíveis, chamada de RenovaBio", afirmou o diretor Aurélio Amaral.

O projeto conjunto consiste da produção do synthetic paraffinic kerosene (SPK), bioquerosene alternativo obtido a partir da captação de CO2 da atmosfera, para uso em aviação, a partir de tecnologia alemã e suíça.

Para essa produção, será construída uma planta piloto dentro do CPT, que fará as análises do biocombustível para atestar se o produto atende às especificações da ANP.

Para incentivar o uso de biocombustíveis na aviação brasileira, a ANP vem debatendo alterações nas regras sobre bioquerosene e querosene fóssil de aviação, de forma a incluir novos combustíveis alternativos e harmonizar a especificação brasileira à internacional.

No dia 6 de fevereiro, foi realizado um encontro com agentes dos segmentos de comercialização e distribuição, representantes de universidades, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e outros interessados no tema.



Fonte: Redação/Assessoria ANP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar