acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Corrupção

Delator da Operação Lava Jato comprova pagamento de propina

03/02/2015 | 11h26
Delator da Operação Lava Jato comprova pagamento de propina
TN Petróleo TN Petróleo

O empresário Augusto Mendonça Neto, dono da Toyo Setal e um dos delatores da Operação Lava Jato, entregou à Policia Federal contratos e notas fiscais que comprovariam o pagamento de propina ao ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, apontado pela PF e pelos outros delatores Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef como o responsável por operar o esquema de corrupção em benefício do PT (Partido dos Trabalhadores).

Segundo O Globo, os documentos apresentados pelo delator apontam que o repasse de propina para Duque foi feito entre 2009 e 2012 através de contratos de serviços e consultorias fictícios realizados pelas empresas Power To Tem Engenharia, Legend Engenheiros Associados, Rock Star Marketing, SM Terraplanagem e Soterra Terraplanagem. No total, as notas fiscais somam mais de R$ 40 milhões.

O juiz federal Sérgio Moro começou a ouvir testemunhas na sétima fase da Operação Lava Jato, dentre elas Augusto Mendonça Neto. Os depoimentos seguem até 13 de fevereiro.

Graça Foster por um fio no comando da Petrobras

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o ex-presidente Lula deve reunir-se com a presidente Dilma Roussef para pedir a demissão de Graça Foster do comando da Petrobras. O encontro deverá ocorrer na sexta-feira (6), ocasião da festa de 35 anos do PT em Belo Horizonte, Minas Gerais. O Palácio do Planalto já está sondando nomes para substítui-la.

De acordo com os interlocutores de Lula, a demissão de Graça Foster aliviaria a crise institucional e  a perda de credibilidade da Petrobras no mercado diante dos eventos desdobrados pela Operação Lava Jato. Embora não haja denúncias contra a presidente da estatal, o desgaste e a decisão de preservar a empresa são causas imperativas desta decisão. 



Fonte: Redação / Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar