acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Decisão do governo vai desonerar Angra 3

05/01/2011 | 09h32
A Eletronuclear estima que poderá economizar R$ 700 milhões na construção da usina de Angra 3 depois que o governo decidiu isentar de impostos a compra de máquinas e equipamentos usados na construção de usinas nucleares.
 
 
A medida provisória 517, aprovada em 30 de dezembro, cria o Renuclear (Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Usinas Nucleares).
 
Segundo a Eletronuclear, a medida representará um "significativo alívio fiscal" para as empresas envolvidas na construção da usina por meio da isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e Imposto de Importação.
 
 
A regra vale para projetos aprovados até dezembro de 2012 e inclui a aquisição de bens no exterior sem similar nacional.
 
 
De acordo com o projeto entregue ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o custo total de construção da usina foi estimado em R$ 10,4 bilhões. Segundo a Eletronuclear, os investimentos diretos ainda a realizar chegam a R$ 9,9 bilhões.
 
O BNDES concedeu no fim do ano passado empréstimo de R$ 6,1 bilhões para o projeto, que ficou parado por mais de 20 anos até ser retomado pelo governo no ano passado.
 
Além disso, a usina deverá contar também com até 1,6 bilhão (equivalente a US$ 2,1 bilhões) em financiamentos concedidos por bancos estrangeiros à Eletrobras, controladora da Eletronuclear.
 
Segundo a Folha apurou, dois grupos apresentaram propostas até o fim do ano passado. As obras terão ainda recursos de R$ 890 milhões da Eletrobras.


Fonte: Folha de S.Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar