acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indicadores

Custos industriais desaceleram

06/09/2013 | 12h43

 

O ritmo de crescimento dos custos industriais manteve a tendência de desaceleração iniciada ao fim de 2012, informou nesta sexta-feira (6) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Custos Industriais (ICI) aumentou 2% no segundo trimestre deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2012. No primeiro trimestre de 2013, a expansão ficou em 5,8%, e de outubro a dezembro do ano passado, em 6,6%.
Segundo a CNI, a menor taxa de crescimento do ICI deve-se, sobretudo, às reduções nos custos com energia elétrica, capital de giro e tributos. No segundo trimestre deste ano, comparado com igual período de 2012, o custo com energia elétrica recuou 16,1%, o com capital de giro 5,7% e o com tributos 5,3%.
O indicador também mostra que o custo com pessoal voltou a apresentar taxa de crescimento de dois dígitos (10,1%). Ainda segundo a CNI, os bens intermediários (insumos e matérias-primas) também seguem contribuindo para o aumento dos custos industriais. No entanto, o ritmo de crescimento desses custos foi menor no segundo trimestre de 2013, com um crescimento de 4,4%, contra 9,9% no primeiro, ambos em comparação com iguais trimestres de 2012.

O ritmo de crescimento dos custos industriais manteve a tendência de desaceleração iniciada ao fim de 2012, informou nesta sexta-feira (6) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Custos Industriais (ICI) aumentou 2% no segundo trimestre deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2012. No primeiro trimestre de 2013, a expansão ficou em 5,8%, e de outubro a dezembro do ano passado, em 6,6%.


Segundo a CNI, a menor taxa de crescimento do ICI deve-se, sobretudo, às reduções nos custos com energia elétrica, capital de giro e tributos. No segundo trimestre deste ano, comparado com igual período de 2012, o custo com energia elétrica recuou 16,1%, o com capital de giro 5,7% e o com tributos 5,3%.


O indicador também mostra que o custo com pessoal voltou a apresentar taxa de crescimento de dois dígitos (10,1%). Ainda segundo a CNI, os bens intermediários (insumos e matérias-primas) também seguem contribuindo para o aumento dos custos industriais. No entanto, o ritmo de crescimento desses custos foi menor no segundo trimestre de 2013, com um crescimento de 4,4%, contra 9,9% no primeiro, ambos em comparação com iguais trimestres de 2012.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar