acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Mercosul

Cresce lucro da Petrobras na Argentina

12/11/2004 | 00h00

A Petrobras Energia, filial argentina da estatal brasileira, informou ontem que seu lucro líquido no terceiro trimestre foi de 151 milhões de pesos (US$ 50 milhões), um aumento de 38,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o resultado da empresa foi de 109 milhões de pesos.
Em um comunicado enviado à Bolsa de Valores portenha, a companhia atribuiu a melhora nos resultados ao aumento dos preços do petróleo, melhorias das margens no setor de refino, incremento das vendas de produtos petroquímicos e crescimento de preços e volumes de eletricidade.
Nos nove primeiros meses do ano, o lucro líquido acumulado pela empresa é de 156 milhões de pesos, uma forte queda em relação ao mesmo período de 2003, quando a empresa havia lucrado 524 milhões de pesos.
A redução do lucro ocorreu porque a empresa, ao longo do terceiro trimestre, se desfez de contratos de hedge para cobertura de exportação, herdados da gestão anterior, quando a empresa ainda não havia sido comprada pela Petrobras e se chamava Pecom Energia. Esses papéis tinham como referência o valor do petróleo em torno de US$ 18 o barril, e o "desarme" destes contratos significou um custo de cerca de US$ 120 milhões, mas que não voltará a incidir sobre os resultados futuros.
A ação da empresa na Bolsa de Buenos Aires acompanhou o movimento negativo do mercado e fechou o dia com uma baixa de 0,8%. Apesar disso, os dados apresentados no balanço foram considerados positivos. "A cotação do papel não incorporou os dados positivos do terceiro trimestre", avaliou o analista Rafael Ber, da consultoria Argentine Research, que mencionou melhoras no desempenho da companhia nos setores de exploração e no volume de vendas.
As vendas líquidas no terceiro trimestre aumentaram de 1,44 bilhão de pesos no ano passado para 1,916 bilhão de pesos em 2004.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar