acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

CPFL: venda não garante lucro

03/03/2010 | 09h43
Ainda que tenha apurado maior volume de vendas e crescimento de sua receita em 2009, o lucro da CPFL fechou o ano passado em linha com o de 2008. A geradora e distribuidora de energia elétrica apurou lucro líquido de R$ 1,286 bilhão em 2009, alta de 0,8% em relação ao registrado em 2008, que foi de R$ 1,276 bilhão. No quarto trimestre, contudo, o desempenho da companhia apresentou avanço de 25,1% em relação ao período equivalente do ano anterior, ao atingir R$ 425 milhões.


De acordo com o presidente da CPFL, Wilson Ferreira Júnior, a melhora do cenário econômico no País verificada a partir do segundo semestre de 2009, com aumento dos postos de trabalho, ampliação da massa salarial da população, retomada do crédito, e aumento nas vendas do comércio varejista, ampliou o consumo de energia na área de concessão da CPFL.


"Observamos maior consumo de energia elétrica em nossa área de concessão, com destaque para os segmentos residencial e comercial. Vimos uma melhora mais consistente no último trimestre também do segmento industrial, que denota a retomada da atividade econômica e que foi boa para o nosso desempenho", afirmou Ferreira Júnior, durante teleconferência a analistas para comentar os resultados de 2009.


A receita líquida da empresa em 2009 foi de R$ 10,566 bilhões, alta de 9,1% frente aos R$ 9,682 bilhões de 2008. No quarto trimestre, o faturamento líquido da empresa ficou em R$ 2,840 bilhões, alta de 12,8% em relação ao verificado em igual período de 2008 (R$ 2,517 bilhões).


As receitas foram positivamente impactadas pelas vendas totais (de geração e de distribuição) de energia da empresa, que no ano aumentaram 4% ao atingir 48,064 mil gigawatts (GW) e no trimestre avançaram 4,9%, chegando a 12,588 mil GW. A CPFL verificou melhora em diversos segmentos, mas Ferreira Júnior destacou o avanço do segmento industrial nos últimos três meses do ano passado.


As vendas no mercado livre, onde situam-se os grandes consumidores, apresentaram crescimento de 16,4% na comparação do quarto trimestre de 2009 com período equivalente em 2008. "Observamos a retomada efetiva do mercado livre no final do ano passado. Acreditamos que neste ano o mercado continue aquecido", disse Ferreira Júnior.


A geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, amortização e depreciação), em 2009, ficou em R$ 2,765 bilhões, queda de 1,5% em relação ao verificado em 2008, que foi de R$ 2,808 bilhões. No quarto trimestre do ano passado, o Ebitda ficou em R$ 746 milhões, alta de 6,7% em relação as três últimos meses de 2008.



INVESTIMENTOS. A CPFL planeja investir 31% mais em 2010 do que em 2009. A empresa investirá R$ 1,724 bilhão no ano, dos quais R$ 1,057 bilhão será aplicado na distribuição e os outros R$ 667 milhões, em geração. Nos próximos cinco anos, a CPFL aportará R$ 4,6 bilhões em distribuição e R$ 1,4 bilhão em geração.


Durante teleconferência, Ferreira Júnior lembrou dos 12 projetos de geração nos quais a empresa está empreendendo no momento, sendo uma hidrelétrica, quatro térmicas e sete eólicas.


Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar