acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo

Cotações do Brent se distanciam mais de US$ 10 em relação ao preço do WTI

27/01/2011 | 09h32
A diferença entre os dois principais referenciais mundiais de preço do petróleo aumentou para mais de US$ 10 por barril, refletindo à divergência das condições em cada lado do Atlântico.
 

O contrato do petróleo do tipo Brent para entrega em março, referencial do Mar do Norte, aumentou US$ 1,97, para US$ 97,22 por barril, nas negociações no mercado futuro europeu da Bolsa Intercontinental (ICE). O barril do petróleo do tipo West Texas Intermediate (WTI) para março avançou US$ 0,66, para US$ 86,85, na Bolsa Mercantil de Nova York.
 

A disparidade, maior desde fevereiro de 2009, pode tornar ainda mais nebuloso o debate sobre as causas da alta no preço do petróleo e quais devem ser as respostas.
 

O WTI, regularmente citado na imprensa dos Estados Unidos como o preço dominante do petróleo, caiu 4,6% nos últimos 30 dias. O Brent avançou 3,6%, sendo que chegou a US$ 99 por barril em meados de janeiro. "Tendemos a sempre pensar no preço dos EUA como sendo o preço do petróleo. Está ficando mais difícil fazer isso", afirmou Tom Bentz, operador e analista do BNP Paribas Commodity Derivatives, em Nova York.
 

A diferença reflete mudanças na dinâmica da oferta. O petróleo dos contratos futuros WTI da Bolsa Mercantil de Nova York é entregue em um complexo de tanques em Cushing, Oklahoma. O governo dos EUA divulgou que o volume de óleo em Cushing na semana passada chegou a 37,7 milhões de barris, perto de seu patamar recorde, o que influenciou os preços para entrega imediata no local. Os estoques em Cushing podem subir mais com a abertura de novo oleoduto até Canadá e novas remessas ferroviárias de Dakota do Norte.
 

A alta nos preços do Brent, por sua vez, é reflexo do declínio nos estoques no Mar do Norte e do aumento da demanda pelo produto na Ásia, segundo Lawrence Eagles, diretor de análise do setor petrolífero no JPMorgan. "Nas últimas semanas, o Brent e o WTI foram negociados, cada vez mais, como commodities inteiramente separadas", disse Eagles.
 

Alguns analistas de Wall Street sugeriram a investidores que reduzam sua exposição ao petróleo WTI. "Preferimos expressar nossa visão de alta do petróleo bruto por meio do Brent", destacou o Morgan Stanley. O CME Group, controlador da Bolsa Mercantil de Nova York, recentemente ofereceu negociação gratuita para seu contrato similar ao Brent. Os investidores, contudo, parecem continuar se atendo ao WTI.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar