acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
P&D

Coppe inaugura novas instalações para pesquisas em óleo e gás

27/03/2013 | 10h40
Coppe inaugura novas instalações para pesquisas em óleo e gás
Divulgação Divulgação

 

Coppe inaugura novas instalações para pesquisas em óleo e gás
 
Os esforços da Petrobras em elevar sua produção podem ser beneficiados com o desenvolvimento de processos que reduzam o tempo de separação óleo-água, melhorando ainda o seu rendimento. É esse um dos principais projetos em desenvolvimento no Núcleo Interdisciplinar de Dinâmica dos Fluidos (NIDF), um conjunto de três laboratórios que a Coppe/UFRJ inaugura, amanhã, quarta-feira, 27 de março, às 11 horas, na Cidade Universitária.
 
Com uma área de 5.400 m2, o NIDF é o primeiro no Brasil a reunir, em um só local, um conjunto de laboratórios que estudam de forma complementar e integrada o processo de escoamento de óleo e gás. O núcleo é composto pelos laboratórios de Separadores Compactos (LSC), de Escoamentos Multifásicos em Tubulações (LEMT) e de Tecnologia de Engenharia de Poços (LTEP). Neles serão realizados estudos e ensaios relacionados a processos de perfuração, completação e intervenção de poços de petróleo, elevação artificial e separação primária.
 
O Núcleo contou com investimento majoritário da Petrobras, por intermédio da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Os recursos adicionais foram repassados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).
 
A cerimônia de inauguração, que integra a agenda de eventos de comemoração dos 50 anos da Coppe, contará com as presenças do reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Carlos Antônio Levi da Conceição, e do diretor da Coppe, Luiz Pinguelli Rosa, além de representantes de governo, da Petrobras, da Agência Nacional de Petróleo, do Cenpes, de empresas do setor de óleo e gás e dos órgãos de fomento envolvidos. Também estarão presentes professores, pesquisadores e alunos da Coppe.

A Coppe/UFRJ inaugurou nesta quarta-feira (27), na Cidade Universitária, o Núcleo Interdisciplinar de Dinâmica de Fluidos (NIDF), que inclui três laboratórios vinculados ao Programa de Engenharia Mecânica (PEM). Com foco no upstream, este é o primeiro núcleo do Brasil a reunir em um só local um conjunto de laboratórios que estudam de forma complementar e integrada o processo de escoamento de óleo e gás.

 

O NIDF, que possui uma área de 5.400 m², é formado pelos laboratórios de Separadores Compactos (LSC), de Escoamento Multifásico em Tubulações (LEMT) e de Tecnologia de Engenharia de Poços (LTEP). Neles serão realizados estudos e ensaios relacionados a processos de perfuração, completação e intervenção de poços de petróleo, elevação artificial e separação primária. Esse trabalho beneficiará os esforços da Petrobras para aumentar sua produção de óleo e gás, desenvolvendo, por exemplo, processos que reduzam o tempo de separação óleo e água.

 

“Um dos diferenciais desses laboratórios é que todos eles são de elevado conteúdo acadêmico, pautados pelo mesmo princípio que deu origem à Coppe há 50 anos. Ou seja, aqui se faz engenharia com ciência, com alto grau de complexidade, o que requer conhecimento especializado e um altíssimo nível de qualificação”, afirmou Atila Freire, coordenador do NIDF e responsável pela implantação dos novos laboratórios.

 

"Temos hoje dois aspectos de imensa relevância nos contratos de concessão: as cláusulas de conteúdo local e de pesquisa e desenvolvimento. A inauguração desse espaço demonstra resultados e esses recursos devem continuar servindo para o crescimento e desenvolvimento do país", afirmou a superintendente adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, (ANP), Tatiana Moreira.

 

Os vários processos que estão embutidos na "elevação" do petróleo, desde o fundo do poço até o alto da plataforma, se encaixam nos estudos dos laboratórios - variação de pressão, quantidade de fluidos (água, óleo, gás, terra), como acontece a elevação dos fluidos à superfície, entre outros. Um dos destaques é o estudo de escoamento em poços horizontais. "Esses estudos eram feitos somente em universidades no exterior, e de forma bastante simplificada. Nós estamos projetando experimentos de alto conteúdo tecnológico que conseguem reproduzir fenômenos que não eram reproduzidos anteriormente, ou seja, os resultados são mais confiáveis e representam melhor a realidade da produção de petróleo", afirmou o professor de engenharia de petróleo da Coppe/UFRJ, Paulo Couto. "Desde 1980 essa indústria usa os poços horizontais para a fase de produção dos campos. Esses poços possuem produtividade maior pois possuem comprimento mais exposto ao reservatório e são mais caros, já que os mais longos precisam de novas tecnologias para perfuração. Então, caracterizar produção proveniente desses poços é de fundamental importância para caracterizar reservas", completou afirmando que para o pré-sal esse será um grande diferencial.

 

Além da Petrobras, o laboratório já atende clientes como BG, FMC, Baker Hughes, entre outros que atuam no mercado nacional.

 

O NIDF contou com investimento majoritário da Petrobras, por intermédio da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Os recursos adicionais foram repassados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).



Fonte: Redação TN
Autor: Karolyna Gomes
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar