acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petroquímica

Copesul finaliza estudos da nova planta de butadieno

11/01/2006 | 00h00

A Copesul está finalizado os estudos de engenharia básica para iniciar a construção de uma nova planta de butadieno ainda em 2006. Com a planta em operação, a Companhia poderá ampliar em 100 mil toneladas por ano a produção do butadieno, que é matéria-prima para borracha sintética, eslastômero utilizado na indústria de pneumáticos.

Segundo informa a empresa, o investimento será de pelo menos US$ 70 milhões e o tempo de construção será de cerca de 20 meses. No momento, o responsável pela área de novos negócios, Roger Kirst, e uma equipa de engenhairos da Copesul está na Alemanha, concluindo o estudo de engenharia junto à empresa fornecedora de tecnologia Lurgi.Somente no projeto básico já foi investido US$ 1 milhão.

No final de 2005, a Copesul negociou o protocolo em que a Petroflex se compromete a apresentar, até abril, definições sobre a construção de sua nova planta de borracha sintética SBR, que deverá ser a principal consumidora da produção adicional da Copesul. O restante será exportado.

Conforme informações da Copesul, a central de matérias-primas gaúcha vinha adiando o projeto de construção de uma segunda planta de butadieno desde a ampliação de sua capacidade, concluída em julho de 1999. "Naquele período a unidade acabou não se concretizando porque não havia demanda instalada e os clientes não demostraram interesse no aumento da oferta", informa a assessoria de comunicação da Copesul.

Ainda de acordo com a análise da empresa gaúcha: Em 2005, quando o mercado internacional de butadieno mostrava-se mais aquecido do que nunca, com demanda reprimida e os preços do produto batendo na casa dos US$ 1 mil a tonelada, a Copesul reafirmou o interesse de ampliar sua capacidade de fornecimento e reiniciou os entendimentos com a Petroflex. Em seguida ao ato público ocorrido no Pólo Petroquímico do Sul, em fevereiro de 2005, em que a iniciativa privada, representada pela Copesul, Petroflex e Vipal, manifestou interesse no empreendimento ao Governador Germano Rigotto, a Copesul protocolou no Fundopem seu projeto para a construção da nova unidade.

A Copesul produz hoje 160 mil toneladas anuais de butadieno,que em 2005 foi um dos produtos de maior rentabilidade no faturamento da empresa. Com a nova unidade, a Copesul passará a produzir 260 mil toneladas anuais de butadiaeno.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar