acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Eletricidade

Consumo de energia na indústria cresce 1,3% de julho para agosto

28/09/2012 | 14h53

 

Depois de cinco quedas consecutivas, o consumo de energia elétrica na indústria aumentou de 1,3% de julho para agosto, de acordo com a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgada nesta sexta-feira (28) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).
O estudo sugere que o aumento da demanda está relacionado à melhora dos índices de confiança do empresariado industrial no período.
Na comparação com o mesmo mês de 2011, entretanto, a demanda da indústria por eletricidade apresentou queda de 1,4%. Já o consumo total de eletricidade no país cresceu 2,4% em agosto deste ano ante o mesmo mês de 2012, totalizando 37.207 gigawatts-hora (GWh).
Segundo a EPE, essa expansão foi impulsionada pelo consumo do setor de comércio e serviços, que aumentou 7,3% na mesma base de comparação e 7% em 12 meses. O consumo das residências subiu 4,5% em agosto, mantendo a taxa anualizada no mesmo patamar.
De acordo com a EPE, em termos regionais, as indústrias do Centro-Oeste registraram a maior expansão em agosto, com alta de 13,1% sobre igual mês de 2011. No Sul, o consumo industrial aumentou 2,1%, sobretudo, devido ao setor moveleiro em Santa Catarina e no Paraná.
Por outro lado, a queda mais acentuada do consumo industrial em agosto na comparação com o mesmo mês de 2011 foi registrada na Região Norte (-4,9%), sob o impacto do recuo do consumo da indústria paraense (-6,6%). No Nordeste, houve redução de 3% no mesmo período, influenciado principalmente pela variação de -15,7% no Maranhão, refletindo a queda no consumo do setor de alumínio.
O estudo aponta ainda que na Região Sudeste também houve diminuição do consumo industrial em agosto (-2,6%), reflexo dos resultados em Minas Gerais (-5,4%) e São Paulo (-2,2%). Foram consumidos na região 224 GWh a menos do que em agosto de 2011. Segundo a EPE, parcela significativa dessa queda decorre do menor consumo nos setores da cadeia minerometalúrgica.

Depois de cinco quedas consecutivas, o consumo de energia elétrica na indústria aumentou de 1,3% de julho para agosto, de acordo com a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgada nesta sexta-feira (28) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).


O estudo sugere que o aumento da demanda está relacionado à melhora dos índices de confiança do empresariado industrial no período.


Na comparação com o mesmo mês de 2011, entretanto, a demanda da indústria por eletricidade apresentou queda de 1,4%. Já o consumo total de eletricidade no país cresceu 2,4% em agosto deste ano ante o mesmo mês de 2012, totalizando 37.207 gigawatts-hora (GWh).


Segundo a EPE, essa expansão foi impulsionada pelo consumo do setor de comércio e serviços, que aumentou 7,3% na mesma base de comparação e 7% em 12 meses. O consumo das residências subiu 4,5% em agosto, mantendo a taxa anualizada no mesmo patamar.


De acordo com a EPE, em termos regionais, as indústrias do Centro-Oeste registraram a maior expansão em agosto, com alta de 13,1% sobre igual mês de 2011. No Sul, o consumo industrial aumentou 2,1%, sobretudo, devido ao setor moveleiro em Santa Catarina e no Paraná.


Por outro lado, a queda mais acentuada do consumo industrial em agosto na comparação com o mesmo mês de 2011 foi registrada na Região Norte (-4,9%), sob o impacto do recuo do consumo da indústria paraense (-6,6%). No Nordeste, houve redução de 3% no mesmo período, influenciado principalmente pela variação de -15,7% no Maranhão, refletindo a queda no consumo do setor de alumínio.


O estudo aponta ainda que na Região Sudeste também houve diminuição do consumo industrial em agosto (-2,6%), reflexo dos resultados em Minas Gerais (-5,4%) e São Paulo (-2,2%). Foram consumidos na região 224 GWh a menos do que em agosto de 2011. Segundo a EPE, parcela significativa dessa queda decorre do menor consumo nos setores da cadeia minerometalúrgica.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar