acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Energia elétrica

Consumo de energia cai 0,7% em janeiro

02/02/2018 | 17h24

De acordo com dados preliminares de medição coletados entre os dias 1º e 31 de janeiro indicam redução de 0,7% no consumo e de 0,2% na geração de energia elétrica no país, na comparação com janeiro de 2017. As informações constam na mais recente edição do boletim InfoMercado Semanal Dinâmico, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, que traz dados prévios de geração e consumo de energia, além da posição contratual líquida atual dos consumidores livres e especiais.

O consumo no Sistema Interligado Nacional – SIN, somou 62.925 MW médios em janeiro, montante de energia 0,7% inferior ao consumido no primeiro mês do ano passado. A queda no consumo no início de 2018 é causada pelas temperaturas inferiores às registradas no mesmo período do ano passado.

No Ambiente de Contratação Regulado – ACR (cativo), no qual os consumidores são atendidos pelas distribuidoras (onde estão inseridos os consumidores residenciais), houve retração de 2,9% no consumo, índice que leva em conta a migração de consumidores para o mercado livre (ACL). A queda no consumo de energia seria de 0,6%, caso o efeito das migrações fosse desconsiderado.

O consumo no Ambiente de Contratação Livre – ACL, no qual as empresas compram energia diretamente dos fornecedores (onde estão os consumidores de atividade industrial/comercial), subiu 5%, índice que considera o efeito das novas cargas vindas do ACR. Quando esse movimento é descartado na análise, o ACL teria queda de 0,7% no consumo.

Já dentre os ramos da indústria analisados pela CCEE, que incluem dados de autoprodutores, varejistas, consumidores livres e especiais, os setores de veículos (+8,2%), têxtil (+5,1%) e de saneamento (+4,1%) registram aumento no consumo, mesmo sem o impacto da migração na análise. Os maiores índices de retração, no mesmo cenário sem migração, pertencem aos segmentos de serviços (-15,4%), químico (-6,9%) e de transportes (-6,6%).

A análise da geração de energia no Sistema, por sua vez, aponta que em janeiro, somou 66.066 MW médios, diminuição de 0,2%, frente a janeiro de 2017. A geração térmica (+8,8%) e eólica (+15,9%) cresceu, enquanto a produção das usinas hidráulicas, incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas, registrou queda de 3,2% ao longo do primeiro mês do ano.

O InfoMercado Dinâmico também apresenta estimativa da produção das usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia – MRE, em fevereiro, equivalente a 106,9% de suas garantias físicas, ou 49.626 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, o percentual é de 90,85%.

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar