acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Confiança do setor da indústria é o mais baixo desde junho de 2009

30/04/2014 | 14h41

 

Pelo décimo quarto mês seguido, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas, ficou abaixo da média histórica, que é de 105,4 pontos, ao atingir em abril 95,6 pontos - ante 96,2, em março. Esse nível é o mais baixo já registrado desde junho de 2009 (90,7 pontos). Esses dados são referentes à Sondagem da Indústria de Transformação, apurada pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas.
A pesquisa aponta ligeira elevação no nível de satisfação com os resultados de seus negócios no  momento presente com o Índice da Situação Atual (ISA) em 97,3 pontos, avaliação que é 0,7% maior do que a anterior. Já em relação ao Índice de Expectativas (IE), houve queda de 2% com o nível atingindo 93,9 pontos.
” Os resultados de abril sinalizam continuidade do período de desaceleração do ritmo de atividade industrial, sem perspectivas, por ora, de reversão de tendência”, destaca a nota técnica da FGV.
Segundo ainda o comunicado, o que influenciou a pequena melhora no ISA foi a redução dos estoques. A parcela dos entrevistados que indicaram estoques excessivos diminuiu de 9,4% para 8,4%.Ao mesmo tempo, aumentou de 1% para 2,9% o total que apontaram a existência de estoques insuficientes.
Em relação às previsões futuras no curto prazo, caiu de 30,9% para 27,1% a proporção de empresas que acreditam em aumento da produção. Para 12%, as atividades vão diminuir ante 11,4% que tinham tal avaliação no mês anterior. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) apresentou leve recuo ao passar de  84,4% em março para 84,1% em abril.

Pelo décimo quarto mês seguido, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas, ficou abaixo da média histórica, que é de 105,4 pontos, ao atingir em abril 95,6 pontos - ante 96,2, em março. Esse nível é o mais baixo já registrado desde junho de 2009 (90,7 pontos). Esses dados são referentes à Sondagem da Indústria de Transformação, apurada pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas.

A pesquisa aponta ligeira elevação no nível de satisfação com os resultados de seus negócios no  momento presente com o Índice da Situação Atual (ISA) em 97,3 pontos, avaliação que é 0,7% maior do que a anterior. Já em relação ao Índice de Expectativas (IE), houve queda de 2% com o nível atingindo 93,9 pontos.

” Os resultados de abril sinalizam continuidade do período de desaceleração do ritmo de atividade industrial, sem perspectivas, por ora, de reversão de tendência”, destaca a nota técnica da FGV.

Segundo ainda o comunicado, o que influenciou a pequena melhora no ISA foi a redução dos estoques. A parcela dos entrevistados que indicaram estoques excessivos diminuiu de 9,4% para 8,4%.Ao mesmo tempo, aumentou de 1% para 2,9% o total que apontaram a existência de estoques insuficientes.

Em relação às previsões futuras no curto prazo, caiu de 30,9% para 27,1% a proporção de empresas que acreditam em aumento da produção. Para 12%, as atividades vão diminuir ante 11,4% que tinham tal avaliação no mês anterior. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) apresentou leve recuo ao passar de  84,4% em março para 84,1% em abril.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar