acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Compass completa um ano de atuação em posição de destaque

09/12/2010 | 14h39
Com aporte de R$ 4,2 milhões e pouco mais de um ano de criação, a Compass já é uma das maiores comercializadoras independentes do País, de acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Somente nesse período foram comercializados cerca de 250 MW médios por mês, promovidos mais de 20 leilões e conquistada uma carteira mais de 80 clientes, boa parte deles líderes em diversos setores. Em 2010, a Compass deve alcançar faturamento de R$ 120 milhões.


Apostamos em um serviço diferenciado, com o respaldo de profissionais experientes e altamente especializados, que vai além da compra e venda de energia, e conseguimos resultados excelentes, superando largamente nossas metas inicias, revela o CEO do Grupo Compass, Marcelo Parodi.


Em razão desse sucesso e de uma demanda de mercado, agora, o Grupo Compass parte para um novo desafio, a recém-criada Empresa de Inteligência em Gestão (EIG). Somente no último ano aumentou em 76% o número de consumidores especiais entre os agentes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). A migração para o mercado livre traz vantagens financeiras, mas também implica em novas responsabilidades, alerta Parodi.


Nesse cenário, criamos a EIG com objetivo de preservar a independência e isenção entre as atividades de trading e de serviços de gestão para agentes do mercado livre de energia, conta o executivo.

 

EIG, do Grupo Compass, chega ao mercado de energia


Empresa do Grupo Compass vai oferecer serviços de gestão para consumidores livres, especiais e geradores

 

Só no último ano aumentou em 100% o número de consumidores especiais entre os agentes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). De olho nesse mercado e com objetivo de preservar a independência e isenção entre as atividades de trading e de serviços de gestão para agentes do mercado livre de energia, o Grupo Compass anuncia a criação de uma nova empresa, a Empresa de Inteligência em Gestão (EIG).


“O mercado livre já decolou, agora é a vez dos consumidores especiais”, aponta o CEO do Grupo Compass, Marcelo Parodi. Atualmente, são registrados por mês cerca de 30 a 40 pedidos de adesão de consumidores especiais à CCEE.


Nesse cenário, a EIG vai oferecer um portfólio de serviços em gestão, como: balanço mensal de consumo de energia, projeção de consumo futuro, representação junto à CCEE, entre outros. “A migração para o mercado livre traz vantagens financeiras, mas também implica em novas responsabilidades”, alerta Parodi. “A gestão do contrato precisa ser feita de forma cautelosa para evitar penalidades financeiras”, conclui.


A nova empresa, que iniciou suas atividades em outubro desse ano, já possui uma carteira de 32 clientes de diversos setores da indústria (moveleiro, têxtil, metalmecânica, entre outros). “São empresas que já são consumidores livres e outras que estão em processo de migração para o Ambiente de Contratação Livre (ACL)”, comenta o diretor-presidente da EIG, Sergio Carmo. “Até dezembro de 2011, a meta da EIG é alcançar 200 consumidores”, revela Carmo.


“Vemos muita oportunidade para atuar com foco em serviços de gestão para o setor de energia”, diz o diretor-presidente da EIG. Para o executivo, o diferencial da nova empresa é a transferência da inteligência de mercado de trading. “Como o mercado livre de energia é um mercado de balcão, é preciso ter muita sensibilidade, sobretudo em termos de preços, para oferecer bons serviços. No caso da EIG, essa expertise já está no DNA da empresa”, completa Sergio Carmo.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar