acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Gerdau

Companhia investirá US$ 1,4 bi no Peru

02/09/2008 | 04h40

A Gerdau vai investir US$ 1,4 bilhão para ampliar em seis vezes a capacidade de produção da Empresa Siderúrgica del Peru (Siderperú), sua subsidiária no Peru, e torná-la uma das maiores siderúrgicas da América do Sul. O anúncio foi feito ontem pelo presidente da companhia, André Gerdau Johannpeter, e pelo presidente peruano, Alan García, no Palácio do Governo, em Lima.

 

Os equipamentos que serão instalados na unidade vão elevar a produção das atuais 450 mil toneladas de aço por ano, para 1,5 milhão de toneladas em 2011 e de 3 milhões de toneladas em 2013.

 

"O Peru é país estratégico para a Gerdau, por ser mercado com grande potencial e com grandes possibilidades de desenvolvimento. Este projeto consolidará o crescimento da Gerdau no setor siderúrgico sul-americano", disse o André Gerdau.

 

A Gerdau está modernizando o Complexo Siderúrgico da Siderperú com investimento de US$ 122 milhões, montante que já supera o compromisso assumido com o governo peruano no início do processo de aquisição da Siderperú pelo grupo brasileiro em 2006. Desse total, US$ 40 milhões estão destinados à implementação de modernas tecnologias para a proteção do ar, água e solo.

 

Na primeira etapa do novo projeto, será feito estudo de viabilidade técnica que compreenderá a avaliação para a construção e instalação de equipamentos de produção, necessidades logísticas, de infra-estrutura, energia e meio-ambiente.

 

De acordo com o diretor executivo da Siderperú, Luiz Polacchini, a empresa será líder no mercado nacional em produtos de aços longos e planos. O objetivo é abastecer o mercado interno peruano e exportar parte da produção preferencialmente para os países andinos.

 

 

A execução do projeto terá impacto positivo na cidade de Chimbote, na avaliação da Gerdau. Ao todo, 2 mil empregos diretos devem ser gerados permanentemente, além de outros 6 mil indiretos. Durante a etapa de construção, o projeto vai gerar 4 mil postos de trabalho.

 

Este processo dinamizará todos os setores da economia nacional e beneficiará pequenas e médias empresas, contribuindo para o desenvolvimento da cidade e da região de Ancash. A Siderperú já atua em Chimbote há 50 anos.

 

No início de agosto, a Gerdau anunciou que estuda investir US$ 400 milhões para construção de unidade na Bahia para produção de 1 milhão de toneladas de vergalhões.

 

A usina deve gerar 800 empregos permanentes e 3 mil prestadores de serviços quando a planta entrar em operação, em 2011. A companhia possui hoje três unidades na região Nordeste, na Bahia, em Pernambuco e no Ceará.

 

No último mês, a Gerdau aprovou nova expansão da Açominas, com investimentos previstos em US$ 277 milhões. Com esse investimento, a capacidade instalada da unidade irá aumentar de 4,5 milhões de toneladas para 5 milhões de toneladas em 2010. A nova capacidade será destinada às mesmas linhas de aços e laminados que a Açominas já produz.

 

No exterior, a Gerdau analisa a implantação de uma siderúrgica na Espanha, destinada à produção de até 1 milhão de toneladas de vergalhões, destinados à construção civil. O país é o segundo principal mercado europeu destes produtos. A Gerdau já atua na produção de aços especiais na Espanha e o projeto serviria para diversificar sua operação no país.

 

Na Índia, onde a Gerdau formou uma joint venture, está em andamento projeto para ampliar a produção de 275 mil toneladas para 1 milhão de toneladas até 2011, na primeira fase. Deste volume, 500 mil toneladas serão de vergalhões e o restante, de aços especiais. Na segunda etapa desta ampliação, a capacidade chegará a 1,6 milhão de toneladas, mas o prazo não foi detalhado.

 

 

A Gerdau é líder na produção de aços longos nas Américas e líder mundial em aços longos especiais para a indústria automotiva.

 

A companhia tem capacidade instalada total de 26 milhões de toneladas de aço com fábricas próprias no Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Peru, Uruguai, México, República Dominicana e Venezuela, além de parcerias na Espanha, Índia e em vários países da América Central.

 

Acompanharam André Gerdau Johannpeter ao Palácio do Governo, em Lima, o presidente da Siderperú, Raúl Barrios; o embaixador do Brasil no Peru, Jorge d´Escragnolle Taunay Filho; o presidente do Conselho de Adminstração da Gerdau, Jorge Gerdau Johannpeter; o diretor executivo da Siderperú, Marcio Ramos; e Luiz Polacchini.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar