acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petroquímica

Começa hoje o prazo de reserva para a compra de papéis PN da Braskem

08/09/2004 | 00h00

A partir de hoje, as pessoas físicas poderão fazer o pedido de reserva para a compra de ações da Braskem. A maior petroquímica da América Latina vai vender 11,7 bilhões de ações preferenciais. Com base no valor de mercado das ações na sexta-feira, de R$ 89,50, a operação deve ficar em torno de R$ 1,047 bilhão. A venda pulverizada conta com a participação de pelo menos 40 corretoras. Os investidores terão até 21 de setembro para fazer o pedido de reserva.
O valor mínimo de compra pelas pessoas físicas é de R$ 1 mil e o máximo de R$ 300 mil para cada CPF. O valor mínimo para clubes de investimento que optarem pela oferta de varejo será de R$ 1 mil e o valor máximo de R$ 600 mil. O prazo de reserva para os investidores institucionais vai até o dia 23 de setembro, data estimada para a definição do preço de emissão das ações.
Cerca de um terço da oferta da Braskem será distribuída para investidores institucionais e de varejo no Brasil. Os outros dois terços serão distribuídos ao exterior para investidores nos Estados Unidos e em outros países sob a forma de American Depositary Shares (ADS). Cada ADS representa mil ações.
Em entrevista ao Valor, o vice-presidente de Finanças da Braskem, Paul Altit, explicou - dias antes da divulgação oficial da oferta - que as ações da empresa registram volume médio diário de R$ 8 milhões de negócios, com picos que podem chegar a R$ 20 milhões. A maior parte, ao redor de 90%, ocorre no Brasil. Ele explicou, naquela ocasião, que um dos objetivos da emissão primária de ações seria fortalecer o capital de giro e reduzir o nível de alavancagem da Braskem.
Além disso, a empresa quer, no médio e longo prazos, equilibrar a liquidez dos papéis da Braskem na Bovespa, nos Estados Unidos e na Europa e, assim, atingir um mercado global de investidores. A meta é aumentar a participação de estrangeiros nos negócios gradativamente para 50%.
Hoje, a companhia tem oito mil acionistas individuais e o "free float" (quantidade de ações em circulação) está na faixa dos 34%. O capital está distribuído entre Previ, com 3%; Petroquisa, com 9,9%; Norquisa, que detém 10,7%; Odebrecht, com 38,7%; Petros, com 1,5%; e o mercado, com 36,1%.
Devido à boa fase do setor petroquímico no mercado local e internacional, os analistas apostam nas ações da empresa. Na sexta-feira, o lote de mil ações preferenciais série A fechou cotado a R$ 89,50. Segundo a Espírito Santo Research, o preço justo seria de R$ 95,17.
O balanço do segundo trimestre da empresa mostra que a Braskem acumula uma dívida de cerca de US$ 2,6 bilhões. Altit explica que a dívida é totalmente compatível com uma empresa que teve neste segundo trimestre Ebtida (geração de caixa) de US$ 2 bilhões. A Braskem tem uma relação dívida líquida/Ebtida na faixa de 3,3 vezes. "Queremos reduzir essa relação para 2,5 vezes até o fim deste ano", afirma Altit.
A oferta brasileira será coordenada pelo banco de investimentos Credit Suisse First Boston (Banco CSFB) e pelo Unibanco.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar