acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Combustíveis afetam lucro

13/05/2004 | 00h00

A Petrobras obteve no primeiro trimestre deste ano um lucro de R$ 3,9 bilhões, o que representou uma queda de 28% em relação ao mesmo período de 2003. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, quando a companhia apresentou lucro de R$ 3 bilhões, o resultado significou um aumento de 30%. Não fosse a provisão de R$ 1,4 bilhão que a empresa foi obrigada a fazer em dezembro, por conta do prejuízo com a área de energia elétrica, o lucro deste trimestre teria sido inferior ao dos quatro últimos meses do ano passado.
O diretor da Área Financeira da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, atribuiu o resultado menor deste trimestre a fatores como a queda nas vendas de combustíveis e derivados no mercado interno e o aumento das importações de petróleo no primeiro trimestre deste ano. Embora tenha feito questão de dizer que o desempenho da companhia não teria sido afetado pela manutenção dos preços dos combustíveis abaixo dos preços praticados no mercado internacional, o executivo admitiu que o resultado poderia ter sido mitigado caso a empresa reajustasse os preços da gasolina no mercado interno.
Gabrielli admitiu, no entanto, que a empresa poderá aumentar os preços dos combustíveis, caso permaneça o atual cenário internacional de preços do petróleo, marcado por uma alta que chegou a superar nesta quinta-feira (13/05) os US$ 40. De qualquer maneira, o diretor da Petrobras voltou a afirmar que não faz sentido para a companhia reajustar os preços internos dos combustíveis a cada variação do preço do barril lá fora. Qualquer movimento da empresa, justificou, levará em conta a variação desses valores no longo prazo.
Neste primeiro trimestre, a Petrobras também apresentou uma receita operacional líquida de R$ 23,2 bilhões, 3% menor do que a obtida no quarto trimestre de 2003. No mesmo período, a geração de caixa da companhia aumentou 25%, chegando a R$ 8,6 bilhões.



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar