acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Pipeline 2015

Com tecnologia brasileira, startups apresentam novidades para área de dutos

24/09/2015 | 10h19
Com tecnologia brasileira, startups apresentam novidades para área de dutos
TN Petróleo TN Petróleo

 

A tecnologia é 100% brasileira. De robôs que inspecionam cada pedaço de um duto até programas que simulam o comportamento do fluido ou válvulas e ferramentas de última geração usadas na produção de petróleo. Tudo isso foi pensado e criado no Brasil por startups e empresas de base teconlógica. Até o dia 24 de setembro, 15 delas estarão na Rio Pipeline Conference & Exposition, no Centro de Convenções Sulamérica, no Rio de Janeiro, em um espaço inteiramente voltado para as ideias inovadoras: o Pavilhão “Da Invenção para Inovação”.
Pela primeira vez na Rio Pipeline, o ambiente foi criado com o intuito de fomentar a tecnologia e a inovação na cadeia de petróleo e gás. Neste local, novas empresas apresentam soluções tecnológicas para área de dutos. A maioria das startups que compõem o pavilhão fazem parte do C3i – Capital Intelectual, um instituto sem fins lucrativos que cria um ambiente de colaboração entre as empresas para que as ideias saiam do papel e sejam comercializadas no mercado.
Entre as empresas está a Insfor, com soluções em robótica de alta tecnologia. O Sistema de Inspeção e Medição de Altura de Solda (Simas), que foi desenvolvido pela companhia, ajuda a identificar possíveis problemas de vazamento em dutos. Já a Comsol atua com plataforma de modelagem e simulação multifísica, que ajuda a prever o comportamento do fluído dentro do duto, antes da operação. A AppliedBio, que desenvolve ferramentas para produção de petróleo faz o protótipo de peças em minutos, através de uma impressora 3D. 
Com a participação no evento, as startups e empresas de bases tecnológicas esperam fechar parcerias e prospectar oportunidade de novos negócios. No espaço destinado a elas, existe ainda uma programação de palestras. No primeiro dia do evento, Doneivan Ferreira, da C3i, falou sobre a importância da tecnologia e comunicação nos modelos de negócios. Já Ricardo Yogui, da Agência PUC de Inovação, abordou o tema inovação aberta e as relações entre grandes empresas e startups. 
A gerente de Tecnologia do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Melissa Fernandez, destaca a importância da inovação para o setor. "Inovar precisa fazer parte da nossa cultura. É preciso que as empresas entendam o valor da inovação e sua importância para driblar momentos como o que o mercado está enfrentando atualmente", disse. 
O Pavilhão “Da Invenção para Inovação” funcionará até o dia 24 de setembro e tem entrada gratuita aos visitantes da Rio Pipeline.

A tecnologia é 100% brasileira. De robôs que inspecionam cada pedaço de um duto até programas que simulam o comportamento do fluido ou válvulas e ferramentas de última geração usadas na produção de petróleo. Tudo isso foi pensado e criado no Brasil por startups e empresas de base teconlógica. Até o dia 24 de setembro, 15 delas estarão na Rio Pipeline Conference & Exposition, no Centro de Convenções Sulamérica, no Rio de Janeiro, em um espaço inteiramente voltado para as ideias inovadoras: o Pavilhão “Da Invenção para Inovação”.

Pela primeira vez na Rio Pipeline, o ambiente foi criado com o intuito de fomentar a tecnologia e a inovação na cadeia de petróleo e gás. Neste local, novas empresas apresentam soluções tecnológicas para área de dutos. A maioria das startups que compõem o pavilhão fazem parte do C3i – Capital Intelectual, um instituto sem fins lucrativos que cria um ambiente de colaboração entre as empresas para que as ideias saiam do papel e sejam comercializadas no mercado.

Entre as empresas está a Insfor, com soluções em robótica de alta tecnologia. O Sistema de Inspeção e Medição de Altura de Solda (Simas), que foi desenvolvido pela companhia, ajuda a identificar possíveis problemas de vazamento em dutos. Já a Comsol atua com plataforma de modelagem e simulação multifísica, que ajuda a prever o comportamento do fluído dentro do duto, antes da operação. A AppliedBio, que desenvolve ferramentas para produção de petróleo faz o protótipo de peças em minutos, através de uma impressora 3D. 

Com a participação no evento, as startups e empresas de bases tecnológicas esperam fechar parcerias e prospectar oportunidade de novos negócios. No espaço destinado a elas, existe ainda uma programação de palestras. No primeiro dia do evento, Doneivan Ferreira, da C3i, falou sobre a importância da tecnologia e comunicação nos modelos de negócios. Já Ricardo Yogui, da Agência PUC de Inovação, abordou o tema inovação aberta e as relações entre grandes empresas e startups. 

A gerente de Tecnologia do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Melissa Fernandez, destaca a importância da inovação para o setor. "Inovar precisa fazer parte da nossa cultura. É preciso que as empresas entendam o valor da inovação e sua importância para driblar momentos como o que o mercado está enfrentando atualmente", disse. 

O Pavilhão “Da Invenção para Inovação” funcionará até o dia 24 de setembro e tem entrada gratuita aos visitantes da Rio Pipeline.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar