acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Leilão

Com investimentos de R$ 11,6 bilhões e 92% do previsto, este é o resultado do Leilão de Transmissão da ANEEL

28/10/2016 | 17h57

O primeiro leilão de linhas de transmissão da gestão do ministro Fernando Coelho Filho e do governo do Presidente Michel Temer atraiu quase a totalidade dos investimentos previstos. O certame, realizado nesta sexta-feira (28/10) na BM&F Bovespa, resultou em investimentos de R$ 11,6 bilhões, o que equivale a 92% da previsão inicial (R$ 12 bilhões). Foram vendidos 21 dos 24 lotes oferecidos.

"Esse resultado veio a partir de uma articulação muito importante entre os órgãos de governo e a Aneel. Cada um no seu espaço, temos trabalhado para retomar os investimentos e a confiança, o que estamos conseguindo e se reflete na venda de 21 dos 24 lotes no leilão de hoje", afirmou o Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

Foram licitadas 27 Linhas de Transmissão, totalizando aproximadamente 6.125,70 km e 16 Subestações, com capacidade total de 6.097 MVA, que irão reforçar a Rede Básica do Sistema Interligado Nacional.

O deságio médio do leilão foi de 12,07%. O maior deságio, de 28%, foi obtido no Lote 9 (LT 500 kV Barreiras II – Buritirama C1, com 213 km, e SE 500 kV Buritirama, na Bahia). Cinco lotes foram disputados a viva voz, chegando a ter mais de 50 lances na disputa de um deles, o que mostra o grande interesse dos investidores nas linhas negociadas.

"Foi um resultado bastante positivo, refletindo não só o aumento da confiança do empresariado, bem como os ajustes que foram feitos, tornando os lotes bem mais atrativos", analisou o secretário de Energia Elétrica do MME, Fábio Alves, que acompanhou in loco o certame.

As instalações de transmissão serão construídas nos Estados da Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte, com investimentos na ordem de R$ 11,6 bilhões, e deverão gerar aproximadamente 23.700 empregos diretos. As instalações deverão entrar em operação comercial em 25 de novembro de 2021.



Fonte: Redação/Assessoria MME
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar