acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Transportes

CNT abre escritório na China

09/04/2014 | 11h02

 

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) coloca em operação neste mês de abril, em Pequim, na China, seu primeiro Escritório Avançado no exterior. Os objetivos da medida são atrair investimentos para os setores de transporte e infraestrutura no Brasil, estreitar as relações e facilitar a troca de experiências e tecnologias entre os empresários dos dois países.
“A CNT será uma ponte entre os empresários dos dois países. A meta é criar oportunidades que estimulem a economia brasileira, com melhorias para a infraestrutura de transporte”, explica o presidente da entidade, o senador Clésio Andrade.
A China foi escolhida porque é o principal parceiro comercial do Brasil. Dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) apontam que, em 2013, o comércio bilateral somou US$ 83 bilhões – US$ 46 bilhões em exportações e US$ 37 bilhões em importações. O valor é quase o dobro que o registrado em trocas comerciais com todos os países do Mercosul no ano passado, US$ 43,9 bilhões.
Clésio Andrade destaca a importância de aproveitar esta oportunidade porque o governo federal não tem capacidade de fazer os investimentos necessários em infraestrutura. “Os inúmeros entraves em logística fazem com que o Brasil perca competitividade. Por isso, a participação da iniciativa privada é fundamental e representa uma boa alternativa para desenvolver o setor de transporte”, afirma.
Primeiras ações
Em 2014, dois workshops – o primeiro no Brasil e o segundo na China – devem ser realizados para facilitar o intercâmbio entre os empresários, além de contribuir para identificar as oportunidades de negócios para os empreendedores. “Os executivos brasileiros poderão conhecer, por exemplo, quais as soluções adotadas pela China para executar com eficiência os seus sistemas de transporte”, diz Clésio Andrade.
Outra ação da Diretoria de Assuntos Internacionais da CNT, coordenadora do Escritório Avançado, é contribuir com a pauta de discussões entre o Ministério de Relações Exteriores e o presidente da China, Xi Jinping, que deve visitar o país em julho. A CNT ajuda a elaborar um documento em que destaca os investimentos prioritários em transporte no Brasil: concessão de rodovias; construção e recuperação de trechos ferroviários; e obras de navegação interior como dragagem, abertura de canais e construção de eclusas e terminais.
Equipe
O Escritório é coordenado pelo diretor de Assuntos Internacionais da CNT, Harley Andrade. Em Pequim, o executivo responsável é José Mario Antunes. Também foram contratados consultores renomados para facilitar o contato com as autoridades chinesas: Clodoaldo Hugueney Filho, ex-embaixador do Brasil na China; Sergio Amaral, presidente do Conselho Empresarial Brasil-China; e Marcos Caramuru, ex-cônsul-geral do Brasil em Xangai.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) coloca em operação neste mês de abril, em Pequim, na China, seu primeiro Escritório Avançado no exterior. Os objetivos da medida são atrair investimentos para os setores de transporte e infraestrutura no Brasil, estreitar as relações e facilitar a troca de experiências e tecnologias entre os empresários dos dois países.

“A CNT será uma ponte entre os empresários dos dois países. A meta é criar oportunidades que estimulem a economia brasileira, com melhorias para a infraestrutura de transporte”, explica o presidente da entidade, o senador Clésio Andrade.

A China foi escolhida porque é o principal parceiro comercial do Brasil. Dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) apontam que, em 2013, o comércio bilateral somou US$ 83 bilhões – US$ 46 bilhões em exportações e US$ 37 bilhões em importações. O valor é quase o dobro que o registrado em trocas comerciais com todos os países do Mercosul no ano passado, US$ 43,9 bilhões.

Clésio Andrade destaca a importância de aproveitar esta oportunidade porque o governo federal não tem capacidade de fazer os investimentos necessários em infraestrutura. “Os inúmeros entraves em logística fazem com que o Brasil perca competitividade. Por isso, a participação da iniciativa privada é fundamental e representa uma boa alternativa para desenvolver o setor de transporte”, afirma.


Primeiras ações

Em 2014, dois workshops – o primeiro no Brasil e o segundo na China – devem ser realizados para facilitar o intercâmbio entre os empresários, além de contribuir para identificar as oportunidades de negócios para os empreendedores. “Os executivos brasileiros poderão conhecer, por exemplo, quais as soluções adotadas pela China para executar com eficiência os seus sistemas de transporte”, diz Clésio Andrade.

Outra ação da Diretoria de Assuntos Internacionais da CNT, coordenadora do Escritório Avançado, é contribuir com a pauta de discussões entre o Ministério de Relações Exteriores e o presidente da China, Xi Jinping, que deve visitar o país em julho. A CNT ajuda a elaborar um documento em que destaca os investimentos prioritários em transporte no Brasil: concessão de rodovias; construção e recuperação de trechos ferroviários; e obras de navegação interior como dragagem, abertura de canais e construção de eclusas e terminais.


Equipe

O Escritório é coordenado pelo diretor de Assuntos Internacionais da CNT, Harley Andrade. Em Pequim, o executivo responsável é José Mario Antunes. Também foram contratados consultores renomados para facilitar o contato com as autoridades chinesas: Clodoaldo Hugueney Filho, ex-embaixador do Brasil na China; Sergio Amaral, presidente do Conselho Empresarial Brasil-China; e Marcos Caramuru, ex-cônsul-geral do Brasil em Xangai.

 



Fonte: Ascom CNT
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar