acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Parceria

CNPq e CNI desenvolverão ações para o Inova Talentos

30/08/2013 | 16h59

 

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), juntamente com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), firmaram, na terça-feira (27), um acordo de cooperação para o desenvolvimento de ações do Programa RHAE Trainee - Inova Talentos. O projeto tem o intuito de dar suporte às empresas que desenvolvem projetos de inovação e pesquisa, e desenvolvimento, a partir da inserção qualificados na modalidade trainee de profissionais.
O programa oferece bolsas de estudo a graduandos, graduados, com até três anos de conclusão, ou mestrandos para o desenvolvimento de planos de inovação vinculados à tecnologia de produção e/ou gestão. Para a empresa participante, o programa trará a oportunidade de iniciar ou aprimorar, em seu quadro, o programa de trainee. O treinamento é supervisionado e remunerado com duração de 12 meses.
Para o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, a inovação acontece essencialmente no ambiente empresarial e depende de recursos humanos, por isso a importância desta parceria firmada, que conta com o know how e a capilaridade da CNI e especialmente do IEL junto às empresas. Glaucius destacou que o Conselho e o IEL já têm outros projetos de cooperação acordados desde 2009, como é o caso do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas (BITEC), iniciativa que tem por objetivo transferir conhecimentos gerados nas instituições de ensino diretamente para o setor produtivo.
Segundo o presidente da CNI, este acordo vai propiciar a qualificação profissional de alta qualidade e conseqüentemente o desenvolvimento da inovação na ciência e tecnologia, além de mostrar como as indústrias brasileiras podem se tornar empresas inovadoras e de ponta, reconhecidas tanto no cenário nacional quanto no mercado internacional. "O MCTI e seus órgãos colegiados, como o CNPq, têm sido parceiros de peso desde 2007 no progresso da ciência com o objetivo de fomentar projetos que estimulem a inserção de pesquisadores (mestres e doutores) nas micro, pequenas e médias empresas", ressalta Andrade.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), juntamente com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), firmaram, na terça-feira (27), um acordo de cooperação para o desenvolvimento de ações do Programa RHAE Trainee - Inova Talentos. O projeto tem o intuito de dar suporte às empresas que desenvolvem projetos de inovação e pesquisa, e desenvolvimento, a partir da inserção qualificados na modalidade trainee de profissionais.


O programa oferece bolsas de estudo a graduandos, graduados, com até três anos de conclusão, ou mestrandos para o desenvolvimento de planos de inovação vinculados à tecnologia de produção e/ou gestão. Para a empresa participante, o programa trará a oportunidade de iniciar ou aprimorar, em seu quadro, o programa de trainee. O treinamento é supervisionado e remunerado com duração de 12 meses.


Para o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, a inovação acontece essencialmente no ambiente empresarial e depende de recursos humanos, por isso a importância desta parceria firmada, que conta com o know how e a capilaridade da CNI e especialmente do IEL junto às empresas. Glaucius destacou que o Conselho e o IEL já têm outros projetos de cooperação acordados desde 2009, como é o caso do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas (BITEC), iniciativa que tem por objetivo transferir conhecimentos gerados nas instituições de ensino diretamente para o setor produtivo.


Segundo o presidente da CNI, este acordo vai propiciar a qualificação profissional de alta qualidade e conseqüentemente o desenvolvimento da inovação na ciência e tecnologia, além de mostrar como as indústrias brasileiras podem se tornar empresas inovadoras e de ponta, reconhecidas tanto no cenário nacional quanto no mercado internacional. "O MCTI e seus órgãos colegiados, como o CNPq, têm sido parceiros de peso desde 2007 no progresso da ciência com o objetivo de fomentar projetos que estimulem a inserção de pesquisadores (mestres e doutores) nas micro, pequenas e médias empresas", ressalta Andrade.

 



Fonte: Ascom CNPq
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar