acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

CNI: reajuste dos juros básicos prejudicará recuperação da indústria

18/04/2013 | 09h37

 

O aumento dos juros básicos da economia (Selic) para controlar a inflação provocará danos à indústria, prejudicando a recuperação de um setor que começou o ano com desempenho inferior ao esperado, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em comunicado, a entidade informou acreditar que a combinação de elevação da taxa Selic e do aumento de gastos públicos contribuirá para deteriorar as perspectivas para a economia, de baixo crescimento com inflação alta.
“A CNI reconhece a importância do controle da inflação. Mesmo assim, lamenta que ao elevar a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, atingindo 7,5% ao ano, o Copom tenha optado pelo caminho de combate à alta inflacionária com maiores danos à atividade produtiva. A indústria mostra desempenho abaixo do esperado no início do ano, dando continuidade à situação negativa do fim de 2012”, destacou a nota.
Para a entidade, o novo ciclo de alta dos juros básicos afetará a confiança do empresário e comprometerá os investimentos essenciais para reativar a economia. Na avaliação da CNI, as pressões sobre a inflação estão concentradas nos preços dos alimentos, que são influenciados por fatores externos e não dependem da taxa de juros, e dos serviços, que estão subindo por causa do aumento do emprego e da renda da população.
A elevação da taxa Selic, comentou a CNI, terá outro efeito negativo sobre a indústria, ao contribuir para que o dólar caia, estimulando as importações e comprometendo a competitividade dos produtos brasileiros no exterior. “O resultado dessa combinação de políticas gera o pior cenário, que é inflação alta e crescimento mínimo”, concluiu o comunicado.

O aumento dos juros básicos da economia (Selic) para controlar a inflação provocará danos à indústria, prejudicando a recuperação de um setor que começou o ano com desempenho inferior ao esperado, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em comunicado, a entidade informou acreditar que a combinação de elevação da taxa Selic e do aumento de gastos públicos contribuirá para deteriorar as perspectivas para a economia, de baixo crescimento com inflação alta.


“A CNI reconhece a importância do controle da inflação. Mesmo assim, lamenta que ao elevar a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, atingindo 7,5% ao ano, o Copom tenha optado pelo caminho de combate à alta inflacionária com maiores danos à atividade produtiva. A indústria mostra desempenho abaixo do esperado no início do ano, dando continuidade à situação negativa do fim de 2012”, destacou a nota.


Para a entidade, o novo ciclo de alta dos juros básicos afetará a confiança do empresário e comprometerá os investimentos essenciais para reativar a economia. Na avaliação da CNI, as pressões sobre a inflação estão concentradas nos preços dos alimentos, que são influenciados por fatores externos e não dependem da taxa de juros, e dos serviços, que estão subindo por causa do aumento do emprego e da renda da população.


A elevação da taxa Selic, comentou a CNI, terá outro efeito negativo sobre a indústria, ao contribuir para que o dólar caia, estimulando as importações e comprometendo a competitividade dos produtos brasileiros no exterior. “O resultado dessa combinação de políticas gera o pior cenário, que é inflação alta e crescimento mínimo”, concluiu o comunicado.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar