acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Chesf lucra 36% a mais no primeiro semestre

17/08/2010 | 09h56
A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), maior empresa do Nordeste e que atua no ramo de geração de energia elétrica, teve um lucro líquido no primeiro semestre deste ano 36,5% maior do que em igual período de 2009. Em números absolutos, foram de R$ 777,2 milhões de janeiro a junho passado.


O faturamento bruto da estatal, entretanto, avançou em uma proporção bem menor do que seu lucro líquido, um crescimento de 4,5%. Com isso, bateu os R$ 2,6 bilhões.


Apesar desse avanço pequeno na receita bruta, quando se observa o que motivou a subida, o destaque fica para a alta considerável, de 23,9%, no fornecimento de energia às distribuidoras e comercializadoras atendidas pela Chesf, como a Celpe, empresa privada que atende a todo o Estado de Pernambuco.


Com esse tipo de vendas, a companhia geradora movimentou R$ 1,6 bilhão somente no primeiro semestre de 2010.
 
 
Mas, quando se trata de considerar a indústria como consumidora final da Chesf, em vez das distribuidoras e comercializadoras de energia, o que ocorreu foi uma queda de 1,7%, passando de R$ 378,3 milhões para R$ 371,7 milhões. Essa é a chamada venda direta, que, segundo a companhia, enfrentou essa redução por causa dos vencimentos de contratos de leilões de energia em proporção maior do que foram fechados novos acordos.


Entre os custos da companhia estatal, que avançaram só 0,3%, para R$ 1,3 bilhão, o que salta aos olhos é o aumento de 175% da chamada “provisão para contingências”. Nessa rubrica, os principais impactos foram a reserva de R$ 42,8 milhões para cumprir o que foi prometido no acordo coletivo de trabalho fechado ainda em 2009 e os R$ 23,9 milhões gastos para comprar e revender energia, entre outras despesas.


No primeiro semestre deste ano, a Chesf investiu R$ 403 milhões na expansão de seu sistema elétrico, contra R$ 293,5 milhões no mesmo período de 2009.


A maior parte dos investimentos, R$ 279,8 milhões, foi revertida em obras no sistema de transmissão. A geração de energia recebeu outros R$ 87,4 milhões e a infraestrutura teve R$ 35,8 milhões.



Fonte: Jornal do Commercio (PE)
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar