acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gás Natural

CEG e CEG Rio fecharam 2003 com resultado positivo

03/05/2004 | 00h00

A empresa espanhola Gas Natural, controladora da CEG e da CEG Rio, apresentou o balanço de 2003 e as previsões para 2004. O diretor presidente da empresa no Brasil, Daniel López Jordá, destacou que o lucro líquido da CEG em 2003 recuperou as perdas de 2002 e atingiu níveis positivos. O lucro líquido de 2003 da CEG foi de R$ 74 milhões. Em 2002, havia sido de para R$ 44 milhões, R$ 10 milhões a menos, que os R$ 54 milhões alcançados em 2002.  
As vendas da empresa em 2003 aumentaram em 1,6% com relação ao ano anterior, sendo um aumento de 9,4% em vendas industriais, residenciais e postos GNV e uma redução de 5,9% na geração elétrica. Em número de clientes, a empresa conquistou cerca de 30,46 mil novos clientes, sendo cerca de 30 mil, clientes residenciais, 336, comerciais, 19, industriais e  97, postos GNV, que consomem cerca de 180 mil m³ de gás natural ao mês. "São como uma pequena indústria", ressalta Jordá. Para 2004, a previsão de conquistar mais de 46 mil clientes residenciais e 121 novos postos GNV, 376 comerciais e 62 clientes industriais. "Este ano queremos implantar o gás natural nas pequenas e médias indústrias", comenta.  
Segundo o executivo, a Gas Natural fez investimentos recordes em 2003 no Rio de Janeiro. Reunindo a CEG e a CEG Rio, a empresa investiu cerca de R$ 230 milhões, prioritariamente na expansão da rede de distribuição, na manutenção e substituição de redes existentes e na conversão de clientes. "Em um ano investimos quase metade dos cerca de R$ 600 milhões aplicados na empresa desde 1997 até 2002", destacou Jordá.
Para os próximos anos, de 2004 a 2007, a média de investimento da Gas Natural no Brasil será de cerca de US$ 110 milhões anuais. Os principais projetos para 2004 são a construção do gasoduto Itaboraí-Niterói, pela CEG, e a rede de abastecimento de Niterói e São Gonçalo. O investimento no gasoduto será da ordem de R$ 20 milhões e a rede local de distribuição supera este valor, mas será construída paulatinamente.
No âmbito do Grande Rio, com a CEG Rio, os principais projetos serão os de revisão de instalação de clientes, conversão de equipamentos e renovação de redes.



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar