acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo e Gás

CE explora 2º poço em águas ultraprofundas

24/09/2012 | 10h38

 

O Ceará iniciou uma nova fase bastante promissora na sua atividade de produção de petróleo, que ainda é considerada pequena. A Petrobras informou ao "Diário do Nordeste" que iniciou, no último dia 17, a perfuração do segundo poço em águas ultraprofundas no estado, batizado de Canoa Quebrada. Atualmente, o poço está em uma fase intermediária, com profundidade de 2.565 metros. A duração estimada da perfuração do Canoa Quebrada, cuja localização ainda não foi divulgada, é de cerca de cinco meses.
Além disso, a Petrobras concluiu a perfuração do primeiro poço em águas ultraprofundas no estado, no qual já havia comunicado a descoberta de petróleo. De acordo com a assessoria de imprensa da estatal, os dados obtidos com a ocorrência do petróleo encontrado no poço 1-CES-158, chamado de Pecém, estão em análise.
Extensão
A empresa ainda não apresentou a extensão dessa nova descoberta, localizada na Bacia do Ceará, que até então só possui exploração petrolífera em águas rasas, de até 50 metros de profundidade. O que chegou a ser informado pela Petrobras é que a coluna estimada de hidrocarbonetos (petróleo e gás) do poço é da ordem de 290 metros, sendo 140 metros de reservatório.
O poço Pecém chegou à profundidades de 5.500 metros, semelhantes àquelas nas quais foi encontrado petróleo na camada pré-sal, no Sudeste brasileiro, onde se encontra a maior província petrolífera nacional.
Localização
O primeiro poço perfurado pela Petrobras fica no bloco BM-CE-2, localizado a 76 km do município de Paracuru, no litoral cearense, e é operado por um consórcio formado pela Petrobras, que possui 60% de participação, e pela empresa BP Energy do Brasil Ltda, que detém os demais 40%. A perfuração teve início em maio passado, por meio da sonda SS-75 (Ocean Courage). O bloco a que pertence foi arrematado pela Petrobras ainda em 2001, na terceira rodada de licitações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Potencial
Apesar de ainda não divulgar o tamanho da descoberta, ela já é vista com grandes expectativas. O gerente de exploração Norte/Nordeste da Petrobras, Cristovão Sanches, já chegou a caracterizar o petróleo do poço Pecém como “a maior descoberta setentrional, indo do Ceará até o Norte do país”.
Já em relação ao poço Canoa Quebrada (1-CES-160), a assessoria de imprensa não deu mais detalhes. A empresa, entretanto, já havia anunciado o plano de perfurar um outro poço em águas profundas ainda este ano, também na Bacia do Ceará.
Novos poços
A Petrobras também projeta a perfuração do primeiro poço marítimo na parte cearense da Bacia Potiguar, a ocorrer no bloco BM-POT-16, também em águas profundas. Não há, contudo, um prazo definido para o início desta empreitada.
A estatal prevê ainda para este ano aportar R$ 2,23 bilhões no custeio das atividades exploratórias no Ceará e no Rio Grande do Norte, e mais R$ 1,72 bilhão para investimentos. As quantidades específicas para cada estado não foram detalhadas pela Petrobras.

O Ceará iniciou uma nova fase bastante promissora na sua atividade de produção de petróleo, que ainda é considerada pequena. A Petrobras informou ao "Diário do Nordeste" que iniciou, no último dia 17, a perfuração do segundo poço em águas ultraprofundas no estado, batizado de Canoa Quebrada. Atualmente, o poço está em uma fase intermediária, com profundidade de 2.565 metros. A duração estimada da perfuração do Canoa Quebrada, cuja localização ainda não foi divulgada, é de cerca de cinco meses.


Além disso, a Petrobras concluiu a perfuração do primeiro poço em águas ultraprofundas no estado, no qual já havia comunicado a descoberta de petróleo. De acordo com a assessoria de imprensa da estatal, os dados obtidos com a ocorrência do petróleo encontrado no poço 1-CES-158, chamado de Pecém, estão em análise.



Extensão


A empresa ainda não apresentou a extensão dessa nova descoberta, localizada na Bacia do Ceará, que até então só possui exploração petrolífera em águas rasas, de até 50 metros de profundidade. O que chegou a ser informado pela Petrobras é que a coluna estimada de hidrocarbonetos (petróleo e gás) do poço é da ordem de 290 metros, sendo 140 metros de reservatório.


O poço Pecém chegou à profundidades de 5.500 metros, semelhantes àquelas nas quais foi encontrado petróleo na camada pré-sal, no Sudeste brasileiro, onde se encontra a maior província petrolífera nacional.



Localização


O primeiro poço perfurado pela Petrobras fica no bloco BM-CE-2, localizado a 76 km do município de Paracuru, no litoral cearense, e é operado por um consórcio formado pela Petrobras, que possui 60% de participação, e pela empresa BP Energy do Brasil Ltda, que detém os demais 40%. A perfuração teve início em maio passado, por meio da sonda SS-75 (Ocean Courage). O bloco a que pertence foi arrematado pela Petrobras ainda em 2001, na terceira rodada de licitações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).



Potencial


Apesar de ainda não divulgar o tamanho da descoberta, ela já é vista com grandes expectativas. O gerente de exploração Norte/Nordeste da Petrobras, Cristovão Sanches, já chegou a caracterizar o petróleo do poço Pecém como “a maior descoberta setentrional, indo do Ceará até o Norte do país”.


Já em relação ao poço Canoa Quebrada (1-CES-160), a assessoria de imprensa não deu mais detalhes. A empresa, entretanto, já havia anunciado o plano de perfurar um outro poço em águas profundas ainda este ano, também na Bacia do Ceará.



Novos poços


A Petrobras também projeta a perfuração do primeiro poço marítimo na parte cearense da Bacia Potiguar, a ocorrer no bloco BM-POT-16, também em águas profundas. Não há, contudo, um prazo definido para o início desta empreitada.


A estatal prevê ainda para este ano aportar R$ 2,23 bilhões no custeio das atividades exploratórias no Ceará e no Rio Grande do Norte, e mais R$ 1,72 bilhão para investimentos. As quantidades específicas para cada estado não foram detalhadas pela Petrobras.



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar