acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Opinião

CBIE: produção da Petrobras em 2012 pode ser menor que em 2011

01/10/2012 | 17h47

 

A Petrobras pode terminar o ano de 2012 produzindo menos petróleo do que no ano passado. A avaliação é do presidente do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. Segundo ele, essa nova queda de produção, anunciada na sexta (28), revela que o governo está realizando uma política predatória em relação à estatal.
"A Petrobras vem recebendo equipamentos com atraso, o que contribui para a queda do desempenho. Há também o problema do preço da gasolina e do diesel, que do jeito que está contribui para o prejuízo que a empresa vem registrando", disse Pires.
O executivo disse também que, além de prejudicar a Petrobras, o efeito colateral desse comportamento do governo pode ser visto também nos setores de etanol e biodiesel.
A estatal informou na sexta-feira que, nos campos localizados no Brasil, sua produção média de petróleo e gás natural atingiu 2.305.890 barris de óleo equivalente por dia (boed) em agosto, indicando uma redução de 0,4% na comparação com o mês anterior. Segundo a estatal, a redução foi motivada, principalmente, por paradas programadas para manutenção em duas plataformas da Bacia de Campos. A produção total do exterior foi de 238.360 boed, correspondendo a um recuo de 0,4% em relação a julho.

A Petrobras pode terminar o ano de 2012 produzindo menos petróleo do que no ano passado. A avaliação é do presidente do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. Segundo ele, essa nova queda de produção, anunciada na sexta (28), revela que o governo está realizando uma política predatória em relação à estatal.


"A Petrobras vem recebendo equipamentos com atraso, o que contribui para a queda do desempenho. Há também o problema do preço da gasolina e do diesel, que do jeito que está contribui para o prejuízo que a empresa vem registrando", disse Pires.


O executivo disse também que, além de prejudicar a Petrobras, o efeito colateral desse comportamento do governo pode ser visto também nos setores de etanol e biodiesel.


A estatal informou na sexta-feira que, nos campos localizados no Brasil, sua produção média de petróleo e gás natural atingiu 2.305.890 barris de óleo equivalente por dia (boed) em agosto, indicando uma redução de 0,4% na comparação com o mês anterior. Segundo a estatal, a redução foi motivada, principalmente, por paradas programadas para manutenção em duas plataformas da Bacia de Campos. A produção total do exterior foi de 238.360 boed, correspondendo a um recuo de 0,4% em relação a julho.

 



Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar