acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócio

Casco de sonda da Sete Brasil já está a caminho do país

06/01/2014 | 12h31

 

Casco de sonda da Sete Brasil já está a caminho do país
A parte inferior do caso (Lower Hull) da sonda semissubmersível Urca, está a caminho do Brasil, onde deve desembarcar em cerca de 30 dias. A estrutura está sendo transportada pelo navio Dockwise Vanguard, pelo sistema de transporte seco (dry tow), mais seguro, rápido e eficiente, o que contribui para o cumprimento do prazo de entrega da embarcação da Sete Brasil para a Petrobras em 2016. Em janeiro de 2014, o casco da Urca, desembarcará no estaleiro Brasfels, da Keppel Fels, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, onde será dada continuidade aos trabalhos de instalação dos blocos da estrutura superior da sonda, que atualmente estão sendo construídos no Brasil, bem como aos serviços de integração, comissionamento e testes de todos os seus sistemas. 
“Trata-se de um marco significativo para efeito de garantia da entrega da sonda dentro dos prazos contratados e da qualidade final da embarcação. O casco inferior está sendo embarcado rigorosamente dentro do prazo previsto no contrato de construção e com elevado nível de acabamento avançado, o que permitirá acelerar os trabalhos finais de montagem total da sonda, e cumprir o cronograma que prevê a entrada em operação da sonda em dezembro de 2015”, avalia João Carlos Ferraz, presidente da Sete Brasil.
O casco da sonda de perfuração Urca, fruto da parceria entre Sete Brasil e Queiroz Galvão Óleo  e Gás (QGOG), é o primeiro que chega ao Brasil. A sonda, no entanto, será o segundo equipamento para perfuração em águas ultraprofundas que será entregue pela Sete Brasil à Petrobras – a primeira embarcação será o navio-sonda Arpoador, atualmente em construção no estaleiro Jurong, também com estimativa de 55% de Conteúdo Local. O Brasfels construirá outras cinco sondas semissubmersíveis encomendadas pela Sete Brasil e seus parceiros QGOG, Odebrecht Óleo e Gás e Petroserv, são elas: a Frade, Portogalo, Magaratiba, Bracuí e Botinas.
As sondas serão construídas de acordo com o projeto DSS™ 38E, da Keppel, sendo que a primeira plataforma está prevista para ser entregue em dezembro de 2015 e a última antes do fim de 2019. Os equipamentos terão capacidade de perfurar a uma profundidade de 10 mil metros (em 3 mil metros de lâmina d’água). Os modelos contratados vão contar com um comprimento total de 108 metros, deslocamento operacional de aproximadamente 45 mil toneladas e capacidade para receber uma tripulação de até 160 pessoas. 
A Sete Brasil contratou a construção de 29 sondas para exploração em águas ultraprofundas em cinco estaleiros brasileiros (Brasfels, Jurong Aracruz, Rio Grande, Enseada do Paraguaçu e Atlântico Sul). Destas, 28 serão afretadas à Petrobras e terão conteúdo local mínimo variando entre 55% e 65%. Atualmente, a Sete Brasil é a maior empresa do mundo em frota sondas de perfuração em águas ultraprofundas, empreendimento que irá gerar, entre empregos diretos e indiretos, mais de 205 mil postos de trabalho permanentes no país.
Para Chow Yew Yuen, diretor de operações da Keppel O & M, este é um importante marco da parceria estabelecida em 2012 entre a Brasfels, unidade brasileira do estaleiro cingapuriano, e a Sete Brasil. “Toda a operação foi realizada dentro dos prazos e especificações do projeto. Este é um momento importante para o Brasil, que receberá a parte inferior do casco da primeira sonda brasileira para perfuração dos campos de Pré-Sal”, comenta o executivo.
Após serem concluídas, as sondas serão afretadas à Petrobras por 15 anos para as atividades de perfuração na camada Pré-sal, na costa sudeste brasileira. Das seis embarcações, a Urca e outras duas plataformas serão operadas pela Queiroz Galvão Óleo e Gás SA, duas pela Petroserv SA e uma pela Odebrecht Óleo e Gás.
 

A parte inferior do caso (Lower Hull) da sonda semissubmersível Urca, está a caminho do Brasil, onde deve desembarcar em cerca de 30 dias. A estrutura está sendo transportada pelo navio Dockwise Vanguard, pelo sistema de transporte seco (dry tow), mais seguro, rápido e eficiente, o que contribui para o cumprimento do prazo de entrega da embarcação da Sete Brasil para a Petrobras em 2016. No final de janeiro de 2014, o casco da Urca, desembarcará no estaleiro Brasfels, da Keppel Fels, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, onde será dada continuidade aos trabalhos de instalação dos blocos da estrutura superior da sonda, que atualmente estão sendo construídos no Brasil, bem como aos serviços de integração, comissionamento e testes de todos os seus sistemas. 

“Trata-se de um marco significativo para efeito de garantia da entrega da sonda dentro dos prazos contratados e da qualidade final da embarcação. O casco inferior está sendo embarcado rigorosamente dentro do prazo previsto no contrato de construção e com elevado nível de acabamento avançado, o que permitirá acelerar os trabalhos finais de montagem total da sonda, e cumprir o cronograma que prevê a entrada em operação da sonda em dezembro de 2015”, avalia João Carlos Ferraz, presidente da Sete Brasil.

O casco da sonda de perfuração Urca, fruto da parceria entre Sete Brasil e Queiroz Galvão Óleo  e Gás (QGOG), é o primeiro que chega ao Brasil. A sonda, no entanto, será o segundo equipamento para perfuração em águas ultraprofundas que será entregue pela Sete Brasil à Petrobras – a primeira embarcação será o navio-sonda Arpoador, atualmente em construção no estaleiro Jurong, também com estimativa de 55% de Conteúdo Local. O Brasfels construirá outras cinco sondas semissubmersíveis encomendadas pela Sete Brasil e seus parceiros QGOG, Odebrecht Óleo e Gás e Petroserv, são elas: a Frade, Portogalo, Magaratiba, Bracuí e Botinas.

As sondas serão construídas de acordo com o projeto DSS™ 38E, da Keppel, sendo que a primeira plataforma está prevista para ser entregue em dezembro de 2015 e a última antes do fim de 2019. Os equipamentos terão capacidade de perfurar a uma profundidade de 10 mil metros (em 3 mil metros de lâmina d’água). Os modelos contratados vão contar com um comprimento total de 108 metros, deslocamento operacional de aproximadamente 45 mil toneladas e capacidade para receber uma tripulação de até 160 pessoas. 

A Sete Brasil contratou a construção de 29 sondas para exploração em águas ultraprofundas em cinco estaleiros brasileiros (Brasfels, Jurong Aracruz, Rio Grande, Enseada do Paraguaçu e Atlântico Sul). Destas, 28 serão afretadas à Petrobras e terão conteúdo local mínimo variando entre 55% e 65%. Atualmente, a Sete Brasil é a maior empresa do mundo em frota sondas de perfuração em águas ultraprofundas, empreendimento que irá gerar, entre empregos diretos e indiretos, mais de 205 mil postos de trabalho permanentes no país.

Para Chow Yew Yuen, diretor de operações da Keppel O & M, este é um importante marco da parceria estabelecida em 2012 entre a Brasfels, unidade brasileira do estaleiro cingapuriano, e a Sete Brasil. “Toda a operação foi realizada dentro dos prazos e especificações do projeto. Este é um momento importante para o Brasil, que receberá a parte inferior do casco da primeira sonda brasileira para perfuração dos campos de Pré-Sal”, comenta o executivo.

Após serem concluídas, as sondas serão afretadas à Petrobras por 15 anos para as atividades de perfuração na camada Pré-sal, na costa sudeste brasileira. Das seis embarcações, a Urca e outras duas plataformas serão operadas pela Queiroz Galvão Óleo e Gás SA, duas pela Petroserv SA e uma pela Odebrecht Óleo e Gás.
 

 



Fonte: Redação TN/ Ascom Sete Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar