acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Cameron pede que Rússia 'proteja' empresas britânicas

12/09/2011 | 12h39
Companhias do Reino Unido investindo na Rússia precisam ter total confiança de que o Estado irá seguir a lei e não permitirá que outros obstruam deliberadamente seus negócios, afirmou o primeiro-ministro britânico, David Cameron, em um discurso em Moscou nesta segunda-feira (12). A declaração é dada duas semanas após um novo episódio em uma disputa entre a britânica BP e suas parceiras russas, que ilustra dificuldades de empresas estrangeiras no país.

É importante para as companhias estrangeiras que a Rússia tenha "um Estado de Direito efetivo e previsível", disse Cameron. Ele foi acompanhado por 24 líderes empresariais britânicos, incluindo o executivo-chefe da BP, Robert Dudley, na visita de um dia para estimular os negócios entre os dois países.

Cameron disse que os empresários "precisam ter fé de que o Estado, o Judiciário e a polícia irão proteger seu trabalho duro e não colocar os obstáculos da burocracia, regulação e corrupção no caminho". A BP, maior investidora estrangeira na Rússia, enfrenta divergências com seus parceiros locais na joint venture TNK-BP. Essas diferenças impediram uma proposta de aliança entre a BP e a OAO Rosneft.

Há duas semanas, oficiais de Justiça escoltados por policiais vasculharam o escritório da BP em Moscou, no âmbito de uma apuração em um protesto movido por acionistas minoritários da TNK-BP. Os acionistas pedem compensação da BP, alegando que a empresa bloqueou ilegalmente um acordo da TNK-BP para substituir a BP na parceria com a Rosneft.

Cameron disse que as companhias do Reino Unido seguem comprometidas a fazer negócios na Rússia, um país "rico em recursos". Porém também apontou que "as preocupações que continuam a detê-las são reais". Cameron irá se encontrar com o presidente russo, Dmitry Medvedev, e o primeiro-ministro, Vladimir Putin, ainda hoje. As informações são da Dow Jones.


Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar