acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pesquisa e Inovação

Cameron firma convênio para instalação no Parque Científico da Unicamp

23/08/2011 | 15h52
A Cameron, empresa  norte-americana fornecedora de equipamentos e sistemas para escoamento de petróleo e gás, firmou hoje (23) um convênio para instalar seu centro de pesquisa no Parque Científico da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O convênio, que foi articulado pela Agência de Inovação Inova Unicamp, órgão da Universidade responsável pela gestão do Parque Científico, estabelece as condições de ocupação e a permissão de uso da área para a construção do prédio do laboratório.
 
A área total do terreno cedido à Cameron é de 850 metros quadrados e o laboratório irá ocupar uma área aproximada de 1000 metros quadrados. O prazo total para construção da obra será de até dois anos e os custos envolvidos na construção serão de responsabilidade da empresa.
 
Para que uma empresa se instale no Parque Científico da Unicamp, além de custear a construção do prédio, são observadas algumas condições. “A motivação principal para a instalação de um laboratório de pesquisa e desenvolvimento de empresas no Parque é a realização de projetos de pesquisa em colaboração com a Unicamp”, destaca o diretor executivo da Inova, Roberto de Alencar Lotufo.
 
A Cameron estabeleceu um acordo de cooperação com a universidade em fevereiro deste ano, prevendo a prospecção de projetos de pesquisa nas áreas de equipamentos e processos submarinos para processamento e produção de petróleo, com foco na camada de pré-sal. O acordo de cooperação envolveu a Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp (FEM) e o Centro de Estudos de Petróleo da Unicamp (Cepetro).
 
O Vice-Presidente de Desenvolvimento e Tecnologia da Cameron Corporation, John Bartos, afirma: “Estamos felizes por termos assinado este contrato de cooperação na área de pesquisas com a Universidade de Campinas (Unicamp). Isso representa o 7º convênio dessa natureza para a Cameron. Foram celebrados outros contratos de natureza similar  com outras universidades de prestígio, tais como a Universidade da Flórida, Universidade de Houston, Universidade do Estado da Luisiana, Universidade Rice, Universidade do Texas e a Estação de Experimentos de Engenharia do Texas, filiada ao Sistema de Universidades do Texas A&M. A Unicamp é a escolha perfeita para nossas atividades no Brasil e nos sentimos privilegiados em ter uma parceira como a Unicamp no desenvolvimento de nossos projetos tecnológicos no país.”

O primeiro projeto a ser realizado no contexto da parceria envolve o grupo de pesquisa em Sistemas Marítimos e Risers (LabRiser) e a pesquisa “Estudo Numérico e Experimental de um Supressor PTMD em Modelo Reduzido de Jumper Submerso”. Parte de uma das linhas de investigação do grupo, a pesquisa permitirá estudar inovações para supressão de vibração em linhas submarinas submetidas a esforços de correnteza, dentre outras.

Segundo o professor Celso Kazuyuki Morooka, do Departamento de Engenharia de Petróleo da FEM, além de trazer contribuições a alunos da pós-graduação, o estudo em questão poderá contar com a participação de alunos de graduação em iniciação científica e há a possibilidade de uma interação com a Universidade de Houston (UH) dos Estados Unidos. O acordo também abrange atividades de P&D interdisciplinares. “A pesquisa envolverá áreas como de processamento químico e materiais, as quais apresentam interações fortes com o Instituto de Química, por exemplo,”. Segundo ele, o estudo irá contribuir com os estudos sobre petróleo, iniciados na Unicamp na área de Exploração e Produção (E&P) no ano de 1987, com a criação do mestrado em Engenharia de Petróleo.

A Cameron tem quatro fábricas industriais no Brasil, localizadas em Taubaté e Jacareí no estado de São Paulo, Salvador, no estado da Bahia, e Macaé, no estado do Rio de Janeiro.


Sobre o Parque Científico da Unicamp

A finalidade principal da criação do Parque Científico da Unicamp é ampliar a interação da Universidade com os Sistemas Nacional e Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio da realização de pesquisa colaborativa e multidisciplinar com organizações públicas e privadas, voltadas ao desenvolvimento científico e tecnológico e à promoção da inovação, tendo como objetivo contribuir com o desenvolvimento sustentável do país. A área total do empreendimento é de 100.000 metros quadrados.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar