acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Petrobras

Câmbio e preço externo vão elevar lucro da estatal

15/12/2004 | 00h00

A queda do dólar diante do real e do preço do barril do petróleo no mercado internacional nos últimos meses vão aumentar os lucros da Petrobras no último trimestre. Segundo estudo do Banco Brascan, com dados de sexta-feira, a estatal estava vendendo gasolina e diesel por preços 7,7% e 7,4%, respectivamente, acima dos do mercado externo. Os dois produtos representam metade do faturamento da Petrobras. E a queda do dólar reduz o custo da dívida da companhia, 89% dela indexada à moeda americana. De junho a novembro, o dólar comercial caiu 14,74% e o petróleo, que chegou a US$ 55 o barril, fechou ontem a US$ 41,82.
Luiz Caetano, chefe de análise do Brascan, diz que os três aumentos dos combustíveis, em junho, outubro, e novembro, por si só, não foram suficientes para zerar a diferença entre os preços locais e externos. Isso só aconteceu agora, pelas condições do câmbio e do mercado de petróleo. Mantida essa situação, a Petrobras deve recuperar no último trimestre parte das perdas registradas no ano, fechando com um lucro ligeiramente acima do do ano passado. "Em 10 de outubro, o preço chegou a ficar, no caso do diesel, 28% abaixo das cotações internacionais e no da gasolina, 27%, e isso não dá para recuperar tão rápido", afirma Caetano.
O analista admite que há milhões de maneiras de comparar preços de combustíveis. O Brascan optou por usar o preço da gasolina negociada na Bolsa de Nova York (Nymex) e a cotação do diesel de baixo teor de enxofre. Mas, independentemente de alguns ajustes, os números mostram que a situação dos preços internos é extremamente positiva para o resultado da empresa. Por isso, o Brascan, que recomenda a compra da ação da estatal, está revendo para cima as estimativas de preço justo para os papéis. O preço anterior era de R$ 119,75, o que já significava 28,4% acima do fechamento de ontem do papel PN, de R$ 93,29.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar