acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Bush quer investigar preço de combustíveis nos EUA

26/04/2006 | 00h00

Pressionado pela queda no índice de aprovação ao seu governo e ao modo como dirige a economia, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, mandou instaurar uma investigação sobre a suposta manipulação dos preços dos combustíveis no país. Ele anunciou ainda ainda seus planos de temporariamente suspender os depósitos feitos na reserva estratégica de petróleo.

"Nossas reservas estratégicas estão suficientemente grandes para nos assegurar contra qualquer grande quebra de fornecimento", disse o presidente. "Ao suspender os depósitos até o segundo semestre, teremos mais petróleo no mercado." Isso pode ajudar a baixar o preço do petróleo, que está em níveis recordes.

Como o preço dos combustíveis é livre nos EUA, eles acompanham a cotação mundial do petróleo.

O plano de Bush marca o maior esforço feito pela Casa Branca para tratar da questão da alta dos combustíveis, tema que encabeça a agenda política do presidente num ano em que há eleições legislativas. Os democratas vêm tentando fazer uma ligação direta entre os altos preços dos combustíveis e as políticas republicanas de ajuda às empresas de petróleo. Na semana passada, a direção democrata pediu a seus candidatos ao Congresso que fizessem campanhas em postos de gasolina, para chamar a atenção para o problema.

Bush, que no discurso sobre o estado da União disse que os EUA estavam "viciados em petróleo", tenta distanciar seu governo dos laços próximos que ele pessoalmente mantém com a indústria do petróleo. Ele mandou o Departamento de Justiça coordenar esforços com a Comissão Federal de Comércio, órgão de proteção ao consumidor, para investigar o que chama de manipulação ilegal dos preços do petróleo.

Tanto a Comissão quanto o Departamento de Justiça vêm focando seus esforços nos varejistas de combustíveis, negando haver qualquer tipo de aumento dos preços por causa de um acordo entre as gigantes de petróleo. A oposição democrata, entretanto, sugere que a tática de combate aos altos preços estaria passando ao largo do verdadeiro problema, que estaria exatamente nas grandes empresas.

Bush enviou cartas a todos os secretários estaduais de Justiça pedindo a eles uma estratégia mais agressiva junto com as autoridades federais.

"Consumidores de todo o país vêm mostrando preocupação sobre o que acham ser uma conduta anticompetitiva das grandes empresas de petróleo", diz a carta.



Fonte: Valor Econômico/ag.
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar