acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Opinião

Burocracia joga produção 'no ralo'

26/09/2013 | 10h07

 

O diretor de Políticas e Estratégias da Confederação Nacional da Indústria (CNI), José Augusto Fernandes, disse ontem (25) que a burocracia do país é um dos principais pontos para perda de competitividade dos setores industrial e de infraestrutura. "O tempo é hoje um dos fatores mais importantes para a competitividade da empresa e, na medida em que há um atraso dos processos, os procedimentos operacionais, a produção e as decisões de investimentos são prejudicados", avaliou Fernandes.
O diretor da CNI citou vários exemplos negativos dos impactos da burocracia na competitividade, durante o seminário "Gestão Pública e Burocracia - Desafios para o Estado Brasileiro", da série Fóruns Estadão Brasil Competitivo, organizado pela CNI.
Entre os pontos negativos estão os atrasos de obras de infraestrutura e processos de importações. "Um investimento que poderia ser concluído em um ano vai a até cinco anos; tudo isso é produtividade jogada no ralo".
Benefícios
Fernandes citou como exemplo positivo a redução de, em média, um terço nos processos logísticos de importação no aeroporto de Viracopos, após a iniciativa privada assumir a operação do terminal. "Isso significa que vou ter possivelmente esse terço a menos de demanda de capital de giro, a importadora conseguirá comprar menos para ter menos estoque e pagará menos armazenagem. É um efeito fantástico para a economia", disse. "Viracopos é um exemplo que é possível muita coisa ser feita com resultados rápidos no curto prazo".

O diretor de Políticas e Estratégias da Confederação Nacional da Indústria (CNI), José Augusto Fernandes, disse ontem (25) que a burocracia do país é um dos principais pontos para perda de competitividade dos setores industrial e de infraestrutura. "O tempo é hoje um dos fatores mais importantes para a competitividade da empresa e, na medida em que há um atraso dos processos, os procedimentos operacionais, a produção e as decisões de investimentos são prejudicados", avaliou Fernandes.


O diretor da CNI citou vários exemplos negativos dos impactos da burocracia na competitividade, durante o seminário "Gestão Pública e Burocracia - Desafios para o Estado Brasileiro", da série Fóruns Estadão Brasil Competitivo, organizado pela CNI.


Entre os pontos negativos estão os atrasos de obras de infraestrutura e processos de importações. "Um investimento que poderia ser concluído em um ano vai a até cinco anos; tudo isso é produtividade jogada no ralo".



Benefícios


Fernandes citou como exemplo positivo a redução de, em média, um terço nos processos logísticos de importação no aeroporto de Viracopos, após a iniciativa privada assumir a operação do terminal. "Isso significa que vou ter possivelmente esse terço a menos de demanda de capital de giro, a importadora conseguirá comprar menos para ter menos estoque e pagará menos armazenagem. É um efeito fantástico para a economia", disse. "Viracopos é um exemplo que é possível muita coisa ser feita com resultados rápidos no curto prazo".

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar