acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Horizon Wind Energy

Brasileiro comandará empresa de energia eólica nos EUA

11/07/2007 | 00h00
O executivo assume a presidência da Horizon com o objetivo de consolidar e expandir a produção de energia eólica nos EUA. “A Horizon tem uma capacidade bruta instalada de quase 1,6 gigawatts e nosso objetivo é chegar ao ano de 2010 com uma capacidade instalada de 3,4 gigawatts”, afirma António Martins da Costa. Com a aquisição, a EDP tornou-se a quarta maior empresa do mundo no mercado de energia eólica, somando uma capacidade instalada bruta de 3,8 gigawatts. Desde a sua criação, em 1999, a Horizon tem sido uma das empresas de desenvolvimento de projetos eólicos de maior sucesso nos Estados Unidos. Atualmente ela detém 559 MW de capacidade instalada na geração de energia eólica e 997 MW de projetos em construção, com entrada em operação prevista até o final de 2007, perfazendo um total de 1.556 MW brutos (1.324 MW líquidos). Além disso, tem os direitos de projetos em diferentes fases de desenvolvimento em 25 estados dos EUA, com capacidade potencial de produção de mais de 9.000 MW. Para o Brasil, a prioridade do executivo ampliar as atividades da Energias do Brasil no campo da geração de energia elétrica. Em 2006, a holding, que consolida ativos também nas áreas de comercialização e distribuição, praticamente duplicou sua capacidade de geração, chegando a 1.043 MW, com a entrada em operação da hidrelétrica Peixe Angical, no Estado do Tocantins. Por enquanto, porém, a energia eólica não está nos planos de expansão da Energias do Brasil, informou Martins da Costa, que preside a empresa desde setembro de 2003. Em seu entender, a regulação brasileira do setor elétrico ainda não é suficientemente atraente para estimular grandes empresas a fazer investimentos de porte na geração de energia eólica. , ,, ,, O executivo assume a presidência da Horizon com o objetivo de consolidar e expandir a produção de energia eólica nos EUA. “A Horizon tem uma capacidade bruta instalada de quase 1,6 gigawatts e nosso objetivo é chegar ao ano de 2010 com uma capacidade instalada de 3,4 gigawatts”, afirma António Martins da Costa. Com a aquisição, a EDP tornou-se a quarta maior empresa do mundo no mercado de energia eólica, somando uma capacidade instalada bruta de 3,8 gigawatts. Desde a sua criação, em 1999, a Horizon tem sido uma das empresas de desenvolvimento de projetos eólicos de maior sucesso nos Estados Unidos. Atualmente ela detém 559 MW de capacidade instalada na geração de energia eólica e 997 MW de projetos em construção, com entrada em operação prevista até o final de 2007, perfazendo um total de 1.556 MW brutos (1.324 MW líquidos). Além disso, tem os direitos de projetos em diferentes fases de desenvolvimento em 25 estados dos EUA, com capacidade potencial de produção de mais de 9.000 MW. Para o Brasil, a prioridade do executivo ampliar as atividades da Energias do Brasil no campo da geração de energia elétrica. Em 2006, a holding, que consolida ativos também nas áreas de comercialização e distribuição, praticamente duplicou sua capacidade de geração, chegando a 1.043 MW, com a entrada em operação da hidrelétrica Peixe Angical, no Estado do Tocantins. Por enquanto, porém, a energia eólica não está nos planos de expansão da Energias do Brasil, informou Martins da Costa, que preside a empresa desde setembro de 2003. Em seu entender, a regulação brasileira do setor elétrico ainda não é suficientemente atraente para estimular grandes empresas a fazer investimentos de porte na geração de energia eólica. , ,, ,

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar