acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Tecnologia

Brasil terá a maior rede de Geociência da América Latina

19/10/2004 | 00h00

Foi assinado nesta segunda-feira (18/10) durante o Congresso Brasileiro de Geologia, em Araxá (MG), o protocolo de intenções visando à criação da Rede Geochronos - Rede Nacional  de Estudos Geocronológicos, Geodinâmicos e Ambientais. Segundo nota da Petrobras, o projeto é o único no mundo no uso integrado dos equipamentos e será a maior rede de geociência já concebida na América Latina.
Com investimentos de cerca de R$ 20 milhões, o projeto proporcionará a retomada do mapeamento geológico de todo o território nacional, além do treinamento e capacitação de pessoal de alta qualificação nas áreas de óleo e gás.
Entre os benefícios da formação da rede está o desenvolvimento e a disponibilização de tecnologia de ponta para aplicação direta na atividade de exploração de óleo e gás. Na primeira unidade da Geochronos, na Universidade de São Paulo, estará disponível a utilização a micro-sonda de alta resolução (SHRIMP). Atualmente o equipamento só está disponível em oito laboratórios no mundo e o Brasil gastou cerca de US$ 500 mil com aquisição de análises a partir da técnica SHRIMP nos últimos três anos.
Os estudos da rede e a utilização da micro-sonda reduzirão os gastos com a obtenção de dados e os riscos exploratórios nas atividades de exploração de petróleo e mineração, o que resultará em menos custos operacionais nestas atividades.
Além deste segmento de atuação, a Geochronos utilizará três equipamentos multicoletores, localizados nas Universidades Federais do Rio Grande do Sul e do Pará e na Universidade de Brasília. Esses equipamentos permitem a obtenção de dados da maior relevância para a exploração de petróleo, gás e minerais e para a proteção do meio ambiente.
A micro-sonda SHIRIMP foi adquirida por intermédio de convênio entre a Petrobras, a Universidade de São Paulo e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A aquisição dos multicoletores também é fruto de convênio da Petrobras com entidades acadêmicas.
Outra vertente da rede será a criação, no Brasil, de um pólo de referência mundial em estudos geodinâmicos e ambientais, com ênfase nas áreas de exploração de petróleo e gás natural. A implantação da rede também fortalecerá as instituições acadêmicas e de pesquisa do País, propiciando uma liderança no Mercosul e no continente.
A Rede Geochronos será resultado de parceria entre os  Ministérios de Minas e Energia e de Ciência e Tecnologia, a Petrobras, a Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) e  entidades acadêmicas e de pesquisa de Brasília, São Paulo, Pará e Rio Grande do Sul.
Segundo a Petrobras, a distribuição geográfica das instituições que participam da rede - Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) e CPRM no Rio de Janeiro; USP em São Paulo; UnB e CPRM em Brasília; UFPA no Pará; UFRGS no Rio Grande do Sul - permitirá articulações regionais para maior disseminação do conhecimento proveniente do projeto. Além disso, trata-se de instituições de referência nacional, com capacitação técnica e ampla experiência na formação de recursos humanos na área de geociências.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar