acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Offshore Technology Conference 2015

Brasil oferece oportunidades no setor de óleo e gás

07/05/2015 | 10h41
Brasil oferece oportunidades no setor de óleo e gás
Agência Petrobras Agência Petrobras

O Brasil oferece oportunidades para empresas estrangeiras que pretendem atuar no setor de petróleo e gás natural no país. A mensagem foi transmitida ontem (6/5) em Houston (EUA), pelo assessor da Presidência da Petrobras, Paulo Sergio Rodrigues Alonso, no evento “Oil & Gas in Brazil: Scenarios and Opportunities”,(“Petróleo e Gás no Brasil: cenários e oportunidades”)  promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Texas (Bratecc, na sigla em inglês).

O executivo, que acumula o cargo de coordenador executivo do Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural), avaliou que, depois de 16 anos em vigor, a Política de Conteúdo Local brasileira está madura.

Na palestra Marine Demands for 2020-2030: Local Content and Opportunities in a new environment (Demandas de equipamentos marítimos para 2020-2030: Conteúdo Local e Oportunidades em um novo ambiente), Alonso citou, entre as iniciativas bem-vindas para o setor, a associação entre fabricantes brasileiros e estrangeiros, com o objetivo de promover soluções para gargalos tecnológicos existentes na indústria nacional. “Queremos incentivar conteúdo local em base sustentável e competitiva“, disse.

O rol de oportunidades se estende tanto para fabricantes, quanto para prestadores de serviço, que poderão atuar em parceria com fornecedores brasileiros. Alonso destacou a importância da academia para inovação e desenvolvimento da indústria brasileira e do setor de petróleo. “Precisamos gerar inovação continuada, porque só com a inovação a nossa indústria será competitiva e de classe mundial em comparação com outros concorrentes no mundo”, ressaltou.

Paulo Alonso mencionou oportunidades que irão surgir tendo por base os equipamentos e serviços críticos importados necessários aos FPSOs (navios-plataforma), que irão operar entre 2020 e 2030. "Temos a necessidade do desenvolvimento de novos fornecedores de guindastes offshore, unidades de injeção química, sistemas de esgoto a vácuo, sistemas de navegação, posicionamento dinâmico, propulsão, válvulas, tubulação e conexões, entre outras."

O executivo lembrou a necessidade que a Petrobras tem de cumprir seus investimentos com rigor e eficiência: “A companhia está realizando contratações de empresas com experiência renomada na implantação de projetos (plataformas, por exemplo), e tem trabalhado com exigências factíveis de conteúdo local, buscando incentivar, de forma incessante, o desenvolvimento tecnológico e a engenharia nacional."

Estratégia em logística de E&P otimiza operações e custos

No mesmo evento, a gerente executiva de Serviços de Exploração e Produção, Cristina Pinho, apresentou a palestra "A new business model applied to Upstream Logistics"  (A logística do E&P da Petrobras e um novo modelo de negócio). A executiva falou sobre a Petrobras Logística de E&P (PB-LOG), empresa criada para prover serviços de suporte para Petrobras e parceiros nos campos operados pela companhia.

Cristina explicou que a criação da PB-LOG em 2012,  com 100% de participação da Petrobras, permitiu separar os serviços de operação de Exploração e Produção, dos serviços de suporte e logística. A infraestrutura e recursos que a Petrobras já possui, além do acesso a fornecedores e prestadores de serviços, conferem vantagens à empresa de logística, que vai competir no mercado para dar suporte aos consórcios operados pela Petrobras.

A gerente executiva também apresentou o Programa de Excelência de Operações Logísticas, implementado nas rotas de embarcações nas bacias de Santos e Campos. O programa permitiu à Petrobras otimizar o número de visitas da frota, aumentar em 20% a pontualidade das entregas e reduzir em 30% o tempo do ciclo de viagem das embarcações. O mesmo programa será implementado para frota de helicópteros, disse a gerente.

Ao apresentar a estratégia em logística da Petrobras, Cristina mostrou um panorama do volume de operações e recursos gerenciados pela companhia em suas operações offshore nas Bacias de Campos e de Santos, onde conta com 144 embarcações de apoio, que transportam cerca de 388 mil toneladas de carga por mês. Para transporte de pessoal, são realizados 9 mil voos por mês, com 101 helicópteros, para 93.571 passageiros. A companhia conta ainda com 8 aerodrones para apoio às operações.

Também participaram do evento promovido pela Bratecc a diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, e o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Jorge Camargo.

Oportunidades no Brasil no setor de petróleo

Na segunda-feira (4/5) Paulo Alonso também apresentou as oportunidades de negócios no setor de petróleo no brasileiro no seminário “Providing goods and services for the oil industry in Brazil: opportunities for foreign suppliers in a new scenario ("Fornecendo produtos e serviços para a indústria de petróleo no Brasil: oportunidades para fornecedores estrangeiros em um novo cenário"), em programação paralela à Offshore Technology Conference (OTC). O gerente de Desenvolvimento de Mercado da área de Materiais, Ronaldo Martins, falou no evento sobre o espaço para novos fornecedores de bens e serviços no país, assim como para parcerias em soluções tecnológicas e de engenharia.



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar