acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
PD&I

Brasil e União Europeia vão investir R$ 52 milhões em projetos estratégicos em TI

21/02/2017 | 09h56

Objetivo da chamada lançada pelo MCTIC e Rede Nacional de Ensino e Pesquisa é incentivar o avanço tecnológico e a inovação, além da formação de recursos humanos em Internet das Coisas, computação em nuvem e redes 5G. Consórcios formados por universidades, institutos de pesquisa e empresas nacionais e europeias podem submeter propostas até 14 de março.

Estão abertas as inscrições para a 4ª Chamada Coordenada Brasil-União Europeia em Tecnologias da Informação e Comunicação. O edital lançado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) vai selecionar seis projetos de pesquisa e desenvolvimento nas áreas de Internet das Coisas, computação em nuvem e redes 5G. As inscrições terminam em 14 de março.

Brasil e União Europeia vão investir 16 milhões de euros, o equivalente a R$ 52 milhões, em projetos com duração de três anos. As propostas devem ser apresentadas por consórcios formados por institutos de pesquisa, universidades e empresas brasileiras e europeias. O objetivo da chamada é incentivar o avanço tecnológico e a inovação, além da qualificação de recursos humanos.

O diretor de Ecossistemas Digitais da Secretaria de Política de Informática do MCTIC, Otávio Caixeta, explica que, no lado brasileiro, os recursos provêm da modalidade de programas prioritários (PPI) da Lei de Informática. A escolha das tecnologias que vão receber os investimentos, segundo ele, tem um objetivo estratégico para o país.

"A Internet das Coisas é uma grande promessa em todo o mundo, a computação em nuvem está cada vez mais presente e as redes de quinta geração são o próximo passo da telefonia. Essa é uma oportunidade de o Brasil participar da criação do 5G e colocar suas características, como território extenso, dentro do padrão dessa tecnologia", afirma.

As chamadas coordenadas Brasil-União Europeia começaram em 2010 e já somaram investimentos de 25 milhões de euros ou R$ 81 milhões. Entre os projetos apoiados estão biossensores para detecção de doenças tropicais, uma plataforma para compartilhamento de dados de biodiversidade e sensores usados na linha de produção de indústrias automobilísticas.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar