acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Óleo e Gás

Brasil deve dobrar produção de petróleo até 2020, afirma Graça Foster

22/01/2014 | 09h36

 

O Brasil vai se tornar o sexto maior produtor mundial de petróleo, devendo dobrar sua produção até 2020 e triplicar até 2035, sustentou a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, em Davos, na Suíça. Ela disse que a descoberta de petróleo é impressionante no Brasil, e acrescentou que a produtividade é boa no pré-sal e que o custo da exploração é “muito bom”, de US$ 54 por barril.
Durante o Fórum Econômico Mundial, Graça afirmou que a Petrobras investirá US$ 236 bilhões nos próximos cinco anos, sendo 95% localizados no Brasil, em razão de inclusão social e aumento de renda. Ela lembrou que a produção virá da Petrobras e 68 companhias que exploram petróleo no país. Sua expectativa é de que, até 2020, o país possa dobrar a produção atual de 2 milhões de barris por dia, passando a 6 milhões de barris até 2035. Conforme Graça Foster, o Brasil só ficará atrás da Arábia Saudita, Estados Unidos, Rússia, Iraque e Canadá.
A presidente da Petrobras comentou também que as regras para o setor de petróleo são muito claras no país, incluindo a exigência de 65% de conteúdo local. Ela destacou a importância do conteúdo local, exemplificando que a Petrobras encomendou nove plataformas, algumas vindas da China com atraso considerável por causa de problemas com navios.
A executiva disse não acreditar que os preços vão baixar muito nos próximos dez anos e não quis comentar sobre a política de preços no Brasil.

O Brasil vai se tornar o sexto maior produtor mundial de petróleo, devendo dobrar sua produção até 2020 e triplicar até 2035, sustentou a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, em Davos, na Suíça. Ela disse que a descoberta de petróleo é impressionante no Brasil, e acrescentou que a produtividade é boa no pré-sal e que o custo da exploração é “muito bom”, de US$ 54 por barril.

Durante o Fórum Econômico Mundial, Graça afirmou que a Petrobras investirá US$ 236 bilhões nos próximos cinco anos, sendo 95% localizados no Brasil, em razão de inclusão social e aumento de renda. Ela lembrou que a produção virá da Petrobras e 68 companhias que exploram petróleo no país. Sua expectativa é de que, até 2020, o país possa dobrar a produção atual de 2 milhões de barris por dia, passando a 6 milhões de barris até 2035. Conforme Graça Foster, o Brasil só ficará atrás da Arábia Saudita, Estados Unidos, Rússia, Iraque e Canadá.

A presidente da Petrobras comentou também que as regras para o setor de petróleo são muito claras no país, incluindo a exigência de 65% de conteúdo local. Ela destacou a importância do conteúdo local, exemplificando que a Petrobras encomendou nove plataformas, algumas vindas da China com atraso considerável por causa de problemas com navios. A executiva disse não acreditar que os preços vão baixar muito nos próximos dez anos e não quis comentar sobre a política de preços no Brasil.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar