acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Crescimento

Brasil aumenta pedidos de registro de patente em 12% no ano passado

13/03/2014 | 10h32

 

O desempenho do Brasil na área de inovação melhorou em 2013 na comparação internacional, segundo dados preliminares da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (Ompi), divulgados nesta quinta-feira em Genebra.
Segundo a entidade, os pedidos de registro de patentes solicitados por companhias brasileiras aumentaram 12,2% em 2013, bem acima do crescimento global de 5,1%.
A Ompi recebeu 661 pedidos de registro internacional do lado brasileiro, frente a 589 em 2012. O número, contudo, ainda é baixo. Em comparação, à pequena Suíça, de 7,5 milhoes de habitantes, pediu o registro de 4.367 patentes no ano passado.
A China, sem surpresa, e os EUA impulsionaram o crescimento recorde de demandas internacionais de patentes em 2013. 
As companhias chinesas pediram registro de 21.516 patentes, representando 29% do total mundial no ano passado. Os chineses superaram a Alemanha como terceiro maior utilizador do sistema internacional de proteção de patentes, só ficando atrás dos EUA e do Japão.
Por sua vez, os EUA utilizaram o mecanismo internacional para proteger 57.239 novas patentes, ou 56% do total mundial.
A Índia, membro dos Brics, pediu o registro de 1.392 novas patentes, numa alta de 5,9% em relação a 2012. A África do Sul pediu proteção para 350 (alta de 11,4%), enquanto a Rússia pediu proteção para 1.087 (queda de 0,32%).
Panosonic lidera
Com 2.881 demandas, a japonesa Panasonic substituiu a chinesa ZTE Corporation como a companhia que mais apresentou novas patentes para registro.
“Os sistemas de propriedade intelectual da OMPI são um elemento indispensável do sistema mundial de inovação, na medida em que oferecem soluções econômicas para assegurar essa proteção", afirmou Francis Gurry, diretor-geral da Ompi.

O desempenho do Brasil na área de inovação melhorou em 2013 na comparação internacional, segundo dados preliminares da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (Ompi), divulgados nesta quinta-feira em Genebra.

Segundo a entidade, os pedidos de registro de patentes solicitados por companhias brasileiras aumentaram 12,2% em 2013, bem acima do crescimento global de 5,1%.

A Ompi recebeu 661 pedidos de registro internacional do lado brasileiro, frente a 589 em 2012. O número, contudo, ainda é baixo. Em comparação, à pequena Suíça, de 7,5 milhoes de habitantes, pediu o registro de 4.367 patentes no ano passado.

A China, sem surpresa, e os EUA impulsionaram o crescimento recorde de demandas internacionais de patentes em 2013. 

As companhias chinesas pediram registro de 21.516 patentes, representando 29% do total mundial no ano passado. Os chineses superaram a Alemanha como terceiro maior utilizador do sistema internacional de proteção de patentes, só ficando atrás dos EUA e do Japão.

Por sua vez, os EUA utilizaram o mecanismo internacional para proteger 57.239 novas patentes, ou 56% do total mundial.

A Índia, membro dos Brics, pediu o registro de 1.392 novas patentes, numa alta de 5,9% em relação a 2012. A África do Sul pediu proteção para 350 (alta de 11,4%), enquanto a Rússia pediu proteção para 1.087 (queda de 0,32%).

Panosonic lidera

Com 2.881 demandas, a japonesa Panasonic substituiu a chinesa ZTE Corporation como a companhia que mais apresentou novas patentes para registro.

“Os sistemas de propriedade intelectual da OMPI são um elemento indispensável do sistema mundial de inovação, na medida em que oferecem soluções econômicas para assegurar essa proteção", afirmou Francis Gurry, diretor-geral da Ompi.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar