acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

BP adquire ativos da Devon no Brasil

11/03/2010 | 10h38
BP adquire ativos da Devon no Brasil
BP adquire ativos da Devon no Brasil BP adquire ativos da Devon no Brasil

A BP anuncia hoje, dia 11 de março, uma transação que irá resultar em um importante posicionamento exploratório em águas profundas no litoral brasileiro, reforçando significativamente seu núcleo em áreas estrangeiras.

 


Através de um amplo acordo,a BP pagará à Devon Energy, em dinheiro, 7 bilhões de
dólares  por seus  ativos no Brasil, Azerbaijão e em águas profundas do
Golfo do México nos Estados Unidos. Esses ativos incluem: participações em dez
blocos exploratórios no Brasil, incluindo sete blocos na Bacia de Campos
; além de  um importante conjunto de áreas exploratórias e prospectos no Golfo do México
nos Estados Unidos; e de uma participação adicional no desenvolvimento do complexo
Azeri-Chirag-Gunashli (ACG) operado pela BP no mar Cáspio, no Azerbaijão.


Adicionalmente, a BP venderá para a Devon Energy uma participação de 50% nos_
direitos da BP nos arenitos Kirby, que contém óleo pesado na província de Alberta no
Canadá, pelo valor de 500 milhões de dólares. As partes concordaram em
formar  uma  joint-venture operada pela Devon, cada uma com participação de 50%,
visando o desenvolvimento deste ativo. Adicionalmente, a Devon assumirá o
compromisso de desembolsar custos de capital de cerca de 150 milhões de dólares em nome da BP.


A conclusão de alguns desses negócios está sujeita a aprovações dos órgãos
reguladores e de autorizações por terceiras partes.

 

“Esta oportunidade estratégica enquadra-se perfeitamente na capacidade operacional e
interesses chave da BP no mundo, oferecendo-nos um significativo potencial adicional
de crescimento de longo prazo, com ênfase na produção petrolífera”, afirmou Tony
Hayward, presidente mundial do GrupoBP. “Além de proporcionar uma ampla carteira
de  ativos no estimulante ambiente de águas profundas no Brasil, esta oportunidade
também fortalecerá nossa posição no Golfo do México, reforçará nossos interesses no
Azerbaijão e nos permitirá progredir no desenvolvimento dos nossos ativos no
Canadá.”


Andy Inglis, executivo-chefe de exploração e produção da BP afirmou: “Com nossa
entrada  no  Brasil, a BP irá acrescentar uma importante posição em mais uma  bacia
atrativa de águas profundas. Combinado com um significativo aumento de nossa
posição no Golfo do México, reforçamos ainda mais nossa liderança como companhia
petrolífera internacional de águasprofundas”.

 O acordo dará à BP uma posição diversificada e abrangente em blocos exploratórios em águas profundas no offshore do Brasil, com participação em oito blocos concedidos nas Bacias de Campos e de Camamu-Almada, em lâminas d’água que variam entre 100 e 2780 m, bem como duas concessões em terra na Bacia de Parnaíba. Os blocos da Bacia de Campos incluem três descobertas – Xerelete, Wahoo (no pré-sal) e Itaipu – além do campo de Polvo, que se encontra na fase de produção.


Nas águas profundas do Golfo do México nos Estados Unidos, a BP adquirirá um portfolio de grande qualidade, com participações em 240 concessões, com uma posição particularmente forte no play emergente do Paleogeno em águas ultra-profundas. Com o acréscimo dos 30% de interesse da Devon na importante descoberta de Kaskida do Paleogeno, a BP alcançará 100% de participação no projeto. Os ativos incluem também participações em quatro campos petrolíferos em produção: Zia, Magnolia, Merganser e Nansen.


No Azerbaijão, a aquisição da participação de 5,63% da Devon no desenvolvimento ACG aumentará para 39,77% a participação da BP nesses campos. 


As concessões nos arenitos Kirby, ainda por desenvolver, situam-se a sudeste da região de Atabasca em Alberta – perto do projeto Jackfish, operado pela Devon, que entrou em produção em 2007. Tal como Jackfish, os arenitos Kirby são apropriados para o desenvolvimento in situ usando drenagem por gravidade com vapor (SAGD na sigla em inglês). A BP e a Devon concordaram com um programa inicial de avaliação para estimar o potencial da área e para estabelecer um plano de desenvolvimento de longo prazo. Em conjunto com a formação desta parceria, a BP e a Devon concordaram em celebrar um contrato off-take de petróleo bruto pesado produzido no desenvolvimento de Kirby, bem como de parte da produção advinda de alguns dos outros desenvolvimentos da Devon na região.


Atualmente a BP está conduzindo um importante programa de investimentos em sua refinaria de Whiting, no Estado de Indiana (Estados Unidos), visando aumentar significativamente sua capacidade de processamento de petróleo bruto pesado, como o produzido no Canadá. A modernização da refinaria de Whiting estará operacional em 2012.


“A Devon é um operador experiente nas areias petrolíferas do Canadá, com uma comprovada experiência no desenvolvimento e produção in situ”, afirmou Inglis. “Prevemos que esta transação irá acelerar o desenvolvimento dos ativos de Kirby e, através do contrato off-take associado, providenciar uma fonte segura de petróleo pesado Canadense, que encontrará na refinaria de Whiting uma vantagem competitiva”.


Após a conclusão desta transação, os funcionários da Devon no Brasil farão parte da BP.

Alguns pontos sobre a BP e a Devon :

· *Em novembro de 2009, a Devon Energy anunciou a sua intenção de alienar a sua posição em águas profundas no Golfo do México, Estados Unidos, e outros ativos internacionais de gás e petróleo como parte de um importante reposicionamento estratégico da companhia no sentido de se concentrar em atividades de exploração e produção onshore de gás e petróleo nos Estados Unidos e no Canadá.


· *Faz parte do acordo a BP assumir dois dos contratos da Devon para sondas de perfuração em águas profundas (avaliados em aproximadamente 1,1 bilhão de dólares americanos).


· *A BP detém direitos sobre aproximadamente 36.400 hectares líquidos nos arenitos Kirby, ainda a serem desenvolvidos, localizados a sudeste de Fort McMurray, em Alberta. 


· *A BP é o maior produtor de petróleo e gás no Golfo do México dos Estados Unidos, produzindo mais de 400.000 barris de petróleo e gás por dia dos campos onde é operadora, incluindo Thunder Horse, Atlantis e Mad Dog, e dos campos onde não é operadora incluindo Mars e Ursa. A BP detém o maior número de concessões em águas profundas no Golfo do México com mais de 650 concessões em águas com profundidades superiores a 380 m.


· *A BP é a operadora e a maior acionista, atualmente com 34,14% de participação no desenvolvimento do campo ACG, que em 2009 produziu uma média de 820.000 barris de petróleo por dia. A próxima etapa desse desenvolvimento, aprovada em março de 2010, irá envolver uma plataforma adicional no campo Chirag, que se somará às outras 5 plataformas atualmente em operação.

· *O resultado da venda da produção oriunda desses ativos será sujeita a um ajustamento para o período entre primeiro  de janeiro e a conclusão do negócio.

 


_



Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar