acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

BNDES financiou R$ 156 bilhões em 2012

22/01/2013 | 12h52
BNDES financiou R$ 156 bilhões em 2012
Presidente do BNDES, Luciano Coutinho Presidente do BNDES, Luciano Coutinho

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou R$ 156 bilhões, em 2012, em diversos setores, alta de 12% na comparação com o ano anterior. Os números foram divulgados nesta terça-feira (22) pelo presidente do banco, Luciano Coutinho na sede da instituição no centro do Rio de Janeiro. Os valores não incluem o setor de habitação.
“Com a área de habitação, acreditamos que o investimento seja um pouco mais forte que o conjunto que está apresentado. Estamos observando uma melhoria e estamos no caminho de acelerar o crescimento”, informou Coutinho, que garantiu que o nível recorde de consultas e aprovações de novos projetos mostra disposição de investimento, um aumento de 60% e 58% em relação a 2011.
Bom desempenho de financiamentos deixa o banco otimista
O ano de 2013 deve apresentar uma recuperação do ritmo da Formação Bruta de Capital, disse Coutinho. Ainda assim, o executivo preferiu não falar em metas.
As consultas por financiamento do banco para novos projetos aumentaram 60% em comparação com 2011 (R$ 312 bilhões) e as aprovações tiveram alta de 58% (R$ 260 bilhões). Ainda assim, o ano será desafiador, segundo Coutinho.
“Haverá uma pressão de demanda maior e teremos que ver como compartilhar essa pressão com o mercado”, disse o presidente do banco ao citar o desafio de intensificar a participação do mercado de capitais no financiamento de longo prazo. Segundo ele, incrementar o desempenho da indústria de transformação é outro desafio importante para aumentar a competitividade do setor.
O setor de infraestrutura será fator relevante de aceleração dos investimentos, com destaque para as novas concessões em logística. Petróleo e gás, energia e setores da indústria (automotivo, bens duráveis e telecomunicações) também serão contribuições importantes, destaca Coutinho.
De acordo com o BNDES, as perspectivas econômicas para os investimentos no período de 2013 e 2016 são de um aumento de 22,3% ao ano em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, saneamento e habitação popular, com prioridade em programas de concessões e orçamento público. Já nos setores automotivo, eletroeletrônico e de telecomunicações os investimentos devem aumentar 5,3% e em petróleo, gás e energia elétrica, 5,5% ao ano.
“Nossos investimentos estarão no ano de 2013 estreitamente associados à aceleração da Formação Bruta de Capital Fixo”, informou. “Existem projetos relevantes em curso. Vamos trabalhar intensamente para que a taxa de crescimento do investimento chegue perto de 6,5% a 7%. Hoje é de cerca de 5,5% a 6%. Nós queremos mais”.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou R$ 156 bilhões, em 2012, em diversos setores, alta de 12% na comparação com o ano anterior. Os números foram divulgados nesta terça-feira (22) pelo presidente do banco, Luciano Coutinho na sede da instituição no centro do Rio de Janeiro. Os valores não incluem o setor de habitação.


“Com a área de habitação, acreditamos que o investimento seja um pouco mais forte que o conjunto que está apresentado. Estamos observando uma melhoria e estamos no caminho de acelerar o crescimento”, informou Coutinho, que garantiu que o nível recorde de consultas e aprovações de novos projetos mostra disposição de investimento, um aumento de 60% e 58% em relação a 2011.



Bom desempenho de financiamentos deixa o banco otimista


O ano de 2013 deve apresentar uma recuperação do ritmo da Formação Bruta de Capital, disse Coutinho. Ainda assim, o executivo preferiu não falar em metas.


As consultas por financiamento do banco para novos projetos aumentaram 60% em comparação com 2011 (R$ 312 bilhões) e as aprovações tiveram alta de 58% (R$ 260 bilhões). Ainda assim, o ano será desafiador, segundo Coutinho.


“Haverá uma pressão de demanda maior e teremos que ver como compartilhar essa pressão com o mercado”, disse o presidente do banco ao citar o desafio de intensificar a participação do mercado de capitais no financiamento de longo prazo. Segundo ele, incrementar o desempenho da indústria de transformação é outro desafio importante para aumentar a competitividade do setor.


O setor de infraestrutura será fator relevante de aceleração dos investimentos, com destaque para as novas concessões em logística. Petróleo e gás, energia e setores da indústria (automotivo, bens duráveis e telecomunicações) também serão contribuições importantes, destaca Coutinho.


De acordo com o BNDES, as perspectivas econômicas para os investimentos no período de 2013 e 2016 são de um aumento de 22,3% ao ano em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, saneamento e habitação popular, com prioridade em programas de concessões e orçamento público. Já nos setores automotivo, eletroeletrônico e de telecomunicações os investimentos devem aumentar 5,3% e em petróleo, gás e energia elétrica, 5,5% ao ano.


“Nossos investimentos estarão no ano de 2013 estreitamente associados à aceleração da Formação Bruta de Capital Fixo”, informou. “Existem projetos relevantes em curso. Vamos trabalhar intensamente para que a taxa de crescimento do investimento chegue perto de 6,5% a 7%. Hoje é de cerca de 5,5% a 6%. Nós queremos mais”.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar